Deputados voltam de recesso, mas esquecem votações

Depois do recesso por conta do feriado prolongado a ALE (Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas) retomou ontem as atividades no plenário da casa. Contudo os parlamentares gastaram a maior parte do tempo que deveria ser dedicado à aprovação de projetos de lei em brigas e acusações. Além de não conseguir reunir todos os 24 deputados, o único dia da semana de sessão na Assembléia voltou a ser vazio e sem nenhuma relevância para a população.
A bola da vez é o caso envolvendo ex-vereador e radialista Brás Silva que, segundo parlamentares da bancada governista, estaria, supostamente, fazendo campanha contra o candidato a reeleição ao governo do Estado Omar Aziz. Semana passada a Polícia Federal apreendeu 324 blusas com a frase “Pedofilia é Crime” no carro da esposa do radialista, que estava estacionado na Avenida Eduardo Ribeiro, no centro da cidade.
O juiz Carlos Zamith, que comandou a operação, entendeu que havia clara relação entre as camisetas e a campanha que relaciona o  governador Omar Aziz à pedofilia.
Em um discurso cheio de energia o Deputado Sabá Reis (PR), defendeu o ex-vereador e com veemência tentou desvincular sua imagem do caso. “O que me levou a tratar desse assunto foi a declaração feita em um determinado Blog da cidade dizendo que Pirataria Eleitoral pode respingar em Sabá Reis”, falou.
O parlamentar fez questão de acusar o governador Omar Aziz de estar sendo truculento e de se aproveitar da PM (Polícia Militar) para fins particulares e eleitoreiros. “Quero mandar um recado para o senhor Governador do Estado, pare de utilizar a Rocam em seus assuntos pessoais, aprenda a separar a eleição do poder”, disse. O curioso é que o deputado foi candidato a vice-prefeito nas últimas eleições, na chapa que tinha como cabeça o atual governador do Amazonas, Omar Aziz.
Reis disse ter sido informado de que poderá ser ouvido pela Polícia Federal e garantiu estar pronto para isso, contanto que seja no plenário da Assembleia Legislativa, na frente dos colegas, e não nos gabinetes, como, segundo Sabá, tem acontecido. Reis declarou-se indignado com as insinuações de que o episódio respingue sobre ele, de acordo com o que foi divulgado na imprensa.
Em defesa do Governador saíram os Deputados Wanderley Dallas (PMDB) e Sinésio Campos (PT). Para Sinésio essas pessoas que estão fazendo a chamada Pirataria Eleitoral devem ser enquadradas pela Lei Eleitoral.

Casa vazia

Mesmo depois do longo recesso os Deputados parecem não se importar muito com a longa lista de projetos que se acumulam na casa, principalmente nesse período eleitoral onde somente as quartas-feiras são destinadas ao que realmente interessa (aprovação de projetos). Dos 24 parlamentares apenas 15 compareceram na ALE (Assembléia Legislativa do Estado). Na lista dos faltosos inclui-se o Presidente da casa Belarmino Lins (PMDB).

Governistas dizem que oposição desaba e faz acusação mentirosa

O líder da bancada do PMDB na Assembleia Legislativa, deputado Marcos Rotta, afirmou ontem que as pessoas que se escondem no anonimato para lançar calúnias contra o governador Omar Aziz (PMN) estão desesperadas, por estarem em queda contínua nas pesquisas, e deveriam ser execradas de uma vez por todas da política do Amazonas. Corroborado pelos deputados Wanderley Dallas (PMDB), Conceição Sampaio (PP), Francisco Souza (PSC), Sinésio Campos (PT) e Therezinha Ruiz (DEM), Rotta garantiu que estava agindo com a consciência tranquila na defesa do governador, porque foi ele quem pediu a constituição de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar e apurar as denúncias de pedofilia que haviam sido assacadas contra Omar Aziz, quando ainda era vice-governador.
“Não fui eu, o deputado Marcos Rotta, que inocentou o vice-governador, foi a Assembleia Legislativa, foram os deputados estaduais que não encontraram qualquer vestígio de que o Omar acusado fosse o Omar vice-governador!”
Rotta afirmou que o discurso proferido, antes, pelo deputado Sabá Reis (PR), acusando a Polícia Militar (Rocam) e o juiz da propaganda eleitoral Carlos Zamith Júnior, de terem agido com truculência no momento em que apreenderam a propaganda contra a pedofilia realizada pelo radialista e ex-vereador Braz Silva. E que isso era fruto do desespero do grupo político que quer vencer a eleição usando o denuncismo barato, que é um artifício bastante conhecido da população brasileira.
Para Rotta, foi grande a sua surpresa quando o deputado Sabá Reis, que havia sido candidato a vice-prefeito nas eleições de 2008, e que teve, naquela oportunidade, a chance de conhecer toda a família de Omar Aziz, proferiu denúncias e acusações contra quem sempre lhe tratou bem e com carinho. “O deputado Sabá disse que a Rocam estava a serviço do governador e que a cartilha feita pela Assembleia Legislativa, contra a pedofilia, era idêntica ao material apreendido no carro de Braz Silva. Isso é uma mentira, porque a Rocam cumpria determinações da Justiça Eleitoral, cujo juiz, Carlos Zamith, reafirmava o dever de apreender, sim, uma material apócrifo (sem assinatura) que, depois se soube, tinha sido patrocinado por um radialista filiado ao grupo político adversário do governador”, disparou Rotta. Além do mais, “esse radialista foi vereador e nos seus quatro anos de mandato nunca fez qualquer menção ao assunto da pedofilia”.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email