Deputado propõe debate sobre condições do porto

A precariedade em que se encontra o porto da Feira da Manaus Moderna, localizado no Centro da cidade, levou o deputado José Lobo (PCdoB) a pedir, na quinta-feira (04), da tribuna da ALE (Assembleia Leghislativa do Estado) a realização de uma audiência pública em data ainda a ser determinada por este Poder.

O deputado José Lobo quer uma discussão ampla envolvendo representantes da Prefeitura de Manaus, Governo do Estado do Amazonas e sociedade para saber qual a melhor alternativa para resolver de vez o problema da falta de infraestrutura no local.

Ao fazer o apelo aos colegas de parlamento, José Lobo apresentou imagens feitas por sua equipe de assessores que mostram o estado precário com que convivem, diariamente, os carregadores (trabalhadores braçais), pescadores e ribeirinhos que utilizam o principal porto da cidade de Manaus.

Cartão portal

O local abastece os ribeirinhos, as cidades do interior, ali desembarcam as pessoas em tratamento de saúde, crianças e idosos.
Não existe um local adequado para lavar louças, fazer alimentos. “Tem pessoas morando debaixo das escadas, sem nenhuma condição de higiene”, disse o deputado.

Benefícios do Prosamim

O porto da Manaus Moderna, como ficou conhecido a partir da década de 90, quando toda a orla do rio Negro passou por um processo de urbanização, é clandestino e está à espera dos benefícios do Prosamim (Programa Social e Ambiental dos Igarapés de Manaus).

“Precisamos organizar o local, a Atrac (Associação dos Armadores dos Transportes de Cargas e Passageiros do Estado do Amazonas) já fez um projeto para o porto e trazer uma audiência pública para a Assembleia vai ajudar a direcionar as discussões”, destacou.

O pedido de José Lobo recebeu apoio de deputados como Luiz Castro (PPS), Liberman Moreno (PHS) e Bosco Saraiva (PRTB). Na opinião de Castro, além de cuidar da infraestrutura, é preciso pensar na segurança para o local.
“Eu não sei como o Ministério Público ainda não fiscalizou a questão da segurança. A audiência pública é bem vinda porque a Copa do Mundo está vindo aí e precisamos discutir de forma decente para deixar o local mais higiênico”, frisou Luiz Castro.

Participação da sociedade

Já o deputado Liberman Moreno (PHS) chamou a atenção para a participação da sociedade nas discussões. “Essa é uma discussão importante para o Estado, vamos ter a oportunidade de observar, organizar e ouvir os anseios da sociedade que vive nos arredores o porto e utilizam o local todos os dias”, acrescentou o parlamentar.

No ano passado a presidência da Atrac apresentou documentos ao deputado Sinésio Campos (líder do PT) informando que, em vistoria recente, a Capitania Fluvial da Amazônia considerou que o Porto não apresenta condições seguras para operar navios de médio e grande porte. De acordo com o relatório da vistoria, foram observadas corrosões acentuadas na estrutura, nos flutuadores e nos componentes do sistema de ancoragem. A audiência pública solicitada pelo deputado José Lobo ainda não tem data para acontecer.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email