16 de abril de 2021

Deputado cobra providências à Dilma

Para Tony Medeiros, os bancos de areia têm sido a causa de muitos acidentes ao longo de décadas no Amazonas

Preocupado com os constantes acidentes envolvendo embarcações no Estado do Amazonas, o deputado estadual Tony Medeiros (PSL), presidente da Comissão de Assuntos Municipais da Assembleia Legislativa, vai encaminhar, nesta sexta-feira (13), documento à presidente da República, Dilma Rousseff, e ao Ministério dos Transportes pedindo urgentes providências sobre a sinalização de importantes rios da região amazônica, tais como o Amazonas e o Solimões.
Na manhã desta sexta o parlamentar visita o ex-deputado Sabá Reis, atualmente respondendo pela AHIMOC (Superintendência das Hidrovias da Amazônia Ocidental), a quem entregará uma cópia do documento a ser enviado a Brasília. Ele também afirma que na próxima segunda-feira (17) procurará o governador Omar Aziz a fim de debater a questão e comunicar suas ações legislativas junto ao governo federal.
“A minha preocupação é muito grande e se justifica pelo fato de que os nossos rios, com exceção de uns poucos, não são consolidados, como o Purus, Solimões, Juruá, o Madeira e o Amazonas, que mudam de cenários geográficos de um ano para o outro, colocando em risco as embarcações e produzindo um sem número de acidentes, às vezes tragédias, pela absoluta falta de sinalização”.
Para Tony Medeiros, os bancos de areia têm sido a causa de muitos acidentes ao longo de décadas no Amazonas e a tendência é o problema aumentar se medidas saneadoras não forem adotadas. “Por um lado, a gente só tem elogios a fazer à Capitania dos Portos quanto à fiscalização, mas por outro sabemos que os acidentes, inclusive os de grande proporção, acontecem devido à total ausência de sinalização”, afirma o parlamentar.
De acordo com ele, o sistema de sinalização existente é bastante antigo e não ajuda em nada. “Nós temos um sistema de sinalização antigo e apenas nas regiões próximas a Manaus. Também temos um razoável processo de sinalização no rio Madeira, e só, não temos mais nada nos demais rios da região, o que é lamentável”, observa.

Furos/paranás

No documento encaminhado ao Ministério dos Transportes Tony solicita que a Marinha do Brasil se responsabilize por estudos urgentes visando a realização da sinalização das vias fluviais do Amazonas. “Isso é urgente e fundamental uma vez que, se analisarmos a situação de furos e paranás, constataremos facilmente que o transporte hidroviário em nosso Estado e no Norte de toda a Amazônia não é sinalizado, é como uma Djalma Batista sem semáforo algum”, comenta.
Também o vereador eleito Marcinaldo Silva dos Santos (PTdoB), de Nhamundá, que subsidiou o deputado com informações precisas sobre a situação no baixo Amazonas, principalmente na fronteira com o Pará, disse ao Jornal do Commercio que o problema é de extrema gravidade. Conforme ele, até nos lagos a navegação hoje é difícil pela falta de sinalização.
“Eu sei de pessoas que ficaram perdidas em lagos da nossa região por causa de nenhuma referência de sinalização, não dá mais para brincar com a situação”, pondera Marcinaldo. Reforçando as afirmações do vereador, Tony Medeiros vai pedir ao governador Omar Aziz que o ajude na tentativa de sensibilizar a presidente Dilma Rousseff e o Ministério dos Transportes sobre a complexidade do problema. “No rio Amazonas, no período do Festival Folclórico de Parintins, é um Deus-nos-acuda”, diz ele.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email