1 de março de 2021

Todos temos absoluta certeza de que tamanha incompetência gera tamanha intolerância não só por parte das vítimas, mas também por parte da sociedade. O que vivencia a cidade de Manaus não advém somente da negligência de governos atuais, despreparados e mal assessorados. Há décadas que assaltar os cofres públicos no Amazonas virara rotina e ignorar o povo e as necessidades na área da saúde foram mera consequência da má-fé. Hoje o caos que já vem de meses fora alertado, mas a soberba dos péssimos gestores, tratando o tema com desprezo conduzira os hospitais a meros depositários de futuros restos mortais. A irresponsabilidade falara mais alto, fruto da incúria de governantes e de parte da população como sempre irresponsável ao frequentarem bares, promoverem festas, passeios e até orgias. Não há leitos há meses e agora não há oxigênio.

Basta de irresponsabilidade que não é só dos governadores, mas do STF também. Profissionais foram expostos de forma criminosa e sentiram na pele a impotência como consequência da torpeza de um governo irresponsável e que é acusado de ter desviado bilhões que lhe foram enviados pelo governo federal. Não foram meros erros ou até análises descabidas, mas uma longa história de atos que beiraram a má-fé. Não há como se confrontar liberdade com o dever de impor normas na busca de resultados. O STF fez o que não lhe competia e deseja agora tapar o sol com a peneira. Bolsonaro proibido de gerir agira em benefício do povo para aliviar a incapacidade de um desgoverno estadual e socorrer os que ao menos tem o direito de respirar. Bolsonaro fez e fará sempre a sua parte, inclusive além de seu dever e sem conotações ideológicas. Você não pressentir que muitos morreriam asfixiados é pior que banalizar o que de melhor possui o ser humano: a VIDA. A incompetência custara vidas de pessoas indefesas. Este fora um ato genocida perpetrado por um governador no mínimo omisso.

Superar esta catástrofe de proporções amazônicas será tarefa árdua para os incompetentes que dependeram até das Forças Armadas de quem receberam oxigênio e o auxílio para transferir pacientes. Como nada fora evitado precocemente, tudo passara a ser remediado como meio de se evitar o colapso total.

Por isso, errou o STF ao deixar o combate do COVID nas mãos de governadores, muitos dos quais já sabidamente corruptos.

 Infelizmente, o Judiciário e o Legislativo violam a Carta Magna em plena luz do dia, pretendendo governar e impedir o progresso da Nação.  Sejam todos mais honestos. Respeitem um Presidente que “doara” bilhões a todos os governadores. Só o Amazonas recebera R$ 626.000.000,00… que fora para o ralo da infelicidade. Imaginem São Paulo que recebera R$ 6.616.000.000… E querem culpar Bolsonaro!!!

Mas o que esperar dos derrotados nas urnas, que diariamente buscam implantar o caos desrespeitando o Executivo, ofendendo o Presidente, buscando criar a insegurança sob todos os aspectos, atingindo as raias da insensatez. Parte da imprensa como um todo e como o meio normal de comunicação não engole o resultado das urnas, e esquecendo-se de seu papel de investigar age “manu militari”, o que contribui para o seu descrédito. Tolerar faz parte da democracia, mas atingir a honra da pessoa NÃO.

E, quanto à guerra da vacinação adiantada, além do desconforto gerado por Doria perante outros governadores, os quais o acusam de terem sido tratados “como se fossem de segunda categoria”, sobreleva a deslealdade e o torpe objetivo de explorar politicamente o episódio. Contudo, os derrotados foram o povo brasileiro, a lealdade, a seriedade, a honestidade, tudo que Doria demonstra não possuir. Mas a maioria dos governadores ficara ao lado do governo federal. 

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email