22 de abril de 2021

Das invasões aos condomínios privados

Cidade de Deus 

Das invasões aos condomínios privados

O bairro nasce no começo dos anos 1990, com famílias migrantes de outros Estados e do interior do Amazonas. Hoje, conta com grande população e comércio independente, fazendo fronteira com o bairro Jorge Teixeira, na zona Leste, e com a reserva ambiental Adolpho Ducke, onde está o Jardim Botânico, com árvores centenárias, projetos de pesquisa, trilhas, e uma fauna e flora Amazônica. O Musa (Museu da Amazônia) também está situado no local, abrigando uma torre de observação de 42 metros de altura, que é um dos principais atrativos turísticos de Manaus.

Cidade Nova

A Cidade nova foi inaugurada em 1981, com o objetivo de suprir a necessidade habitacional de Manaus. O bairro começou com a Cidade Nova 1 e, a partir daí, até meados de 1985, outras unidades habitacionais foram surgindo, expandindo-se até o núcleo 21. Hoje, já é o maior bairro de Manaus e uma de suas imagens ícones é o Hospital Francisca Mendes. O que é marcante em suas ruas atualmente é sua economia, a base de comércios, serviços e até algumas indústrias. Muitos moradores venderam seus imóveis ou transformaram em comércio. Uma foto antiga do bairro confrontada com a imagem atual mostra um local hoje quase irreconhecível, considerando o crescimento econômico da região.

Colônia Terra Nova

O bairro nasce no entorno do Novo Israel, através de lotes de terra, doados, para famílias carentes. A instalação de igrejas católicas e evangélicas na região foi o grande destaque da época, segundo os moradores. Foi um acontecimento que serviu para amenizar os conflitos que surgiam, por conta das constantes invasões na área. Ainda hoje, o bairro precisa de uma melhor infraestrutura, principalmente com relação a escolas públicas e saneamento básico. 

Colônia Santo Antônio

Fundado em 1988, o bairro está logo na entrada da zona Norte de Manaus. Essa região possui grandes supermercados de atacado e varejo, além de abrigar a Nova Igreja Batista, que todos os anos promove um novo espetáculo de Natal e atrai bastante público, não só evangélico. Por uma localização que dá acesso à principais avenidas como Max Teixeira e Torquato Tapajós, o bairro tem recebido novos empreendimentos imobiliários, com condomínios de apartamentos, onde é possível notar a verticalização da área.

Lago Azul

Um dos mais novos bairros da zona Norte, o Lago Azul teve sua criação formalizada em 14 de janeiro de 2010, em uma área que faz limites com a rodovia AM-010 (Manaus – Itacoatiara), o bairro Santa Etelvina, também na zona Norte, e o bairro Tarumã, na Oeste. Localizado próximo da barreira de Manaus, é via de saída e chegada para o município de Presidente Figueiredo e o Estado de Roraima. Nessa área está o conjunto habitacional Viver Melhor 1 e 2. No ano passado, já contabilizava uma população 7.632 habitantes, segundo o IBGE, em um área total de 2.961,87 hectares. Contando com oito escolas públicas municipais e nenhuma unidade de saúde, o Lago Azul tem no Balneário Rocholândia sua iconografia mais conhecida. 

Monte das Oliveiras

O Monte das Oliveiras é localizado às margens do Igarapé do Passarinho e sua ocupação começou em 1988. Os primeiros moradores adquiriram lotes e viviam cultivando hortas, criando porcos e galinhas na região. Os títulos definitivos de terra para os primeiros moradores só foram entregues em 1993, durante a gestão do então governador do Amazonas, Gilberto Mestrinho. Com uma população de 16.823 pessoas, o bairro já conta com uma policlínica, três unidades básicas de saúde, duas escolas estaduais, duas municipais, um Centro de Educação de Tempo Integral e um shopping.

Nova Cidade

O Nova Cidade foi planejado e criado em 1996, pelo governador Gilberto Mestrinho. Apesar de ter uma boa estrutura, com quadras esportivas, avenidas e ruas, a comunidade ainda sente falta de serviços bancários na região, tendo em vista o seu crescimento comercial com supermercados e um comércio pujante. Com a construção da avenida das Flores, o bairro ganhou uma melhora na mobilidade, além da valorização de imóveis. No entanto, a questão segurança ainda é uma das grandes preocupações dos moradores.

Novo Aleixo

O Novo Aleixo desponta como um bairro que tem crescido bastante, principalmente no setor imobiliário, que vai desde condomínios mais sofisticados a estruturas mais populares. A valorização dos terrenos teve alta com a abertura da avenida das Torres e avenida Natan Xavier. No começo dos anos 1990 os terrenos na região custavam de R$ 15 mil a R$ 20 mil, mas hoje os preços já subiram até a faixa de R$ 90 mil a R$ 100 mil. Conta com 96.611 habitantes, segundo o IBGE, e 72.146 eleitores. Seus 1.276,18 hectares  incluem cinco unidades básica de saúde, uma escola municipal e uma estadual.

Novo Israel

Tendo sua entrada principal pela avenida Torquato Tapajós, o bairro Novo Israel nasceu nos anos 1980, com famílias evangélicas adquirindo lotes na região. Por conta disso, o nome faz referência à Terra Santa. Apesar de ter um comércio forte, a região ainda sente a necessidade de serviços bancários e lotéricas, bem como um melhor serviço de transporte público. Outra demanda de seus 16.823 habitantes está na área de cultura, além da ausência de praças e grandes avenidas.

Santa Etelvina

Apesar do nome do bairro ser Santa Etelvina, a padroeira é Nossa Senhora do Imaculado Coração de Maria, pois santa Etelvina ainda não foi canonizada pela Igreja. O bairro tem 26.260 habitantes e área de 918,98 hectares, duas unidades básicas de saúde, um Centro de Atenção Psicossocial, dez escolas municipais e uma estadual. Um dos pontos mais conhecidos do bairro é a área de prova de direção do Detran, onde os candidatos em busca da carteira de motorista fazem o exame de direção.

Coroado

Porta de entrada da zona Leste, o Coroado é um dos símbolos do começo da região. O bairro já tem 51.354 habitantes e 40.121 eleitores, em uma área de 3.350 m2. São dez escolas municipais e seis estaduais, além da Universidade Federal do Amazonas. Há oito unidades básicas de saúde, além do SPA do Coroado. Com um comércio com feiras, lojas, beneficiado pela avenida Cosme Ferreira, o local onde fica o bairro era um terreno da Universidade do Amazonas, que hoje é vizinha do local.

Distrito Industrial 2

A região tem uma baixa densidade populacional em razão de ser um bairro que possui muitas fábricas do PIM (Polo Industrial de Manaus), e ter sido originalmente uma área para a expansão do parque fabril da Zona Franca, antes de ser alvo de invasões e a oficialização posterior como bairro. Com 4.930 m2, o bairro não dispõe de nenhuma unidade de saúde e conta com apenas uma escola municipal. Uma característica peculiar é que o bairro não possui eleitores cadastrados na região e estes têm de se deslocar para outros bairros, para votar.

Mauazinho

No Mauazinho fica o porto da Ceasa, onde embarcam, através de balsas, os veículos que se destinam à rodovia BR-319 (Manaus-Porto Velho), ou que de lá vêm. A estrada liga a capital amazonense ao Sul e Sudeste do Brasil. Com área total de 4.930 m2, o Mauzinho tem 23.560 habitantes. O bairro tem seis unidades básicas de saúde e três escolas municipais de ensino fundamental e anos iniciais, além de duas escolas estaduais. Concentra também indústrias, portos particulares, refinarias e área da Marinha do Brasil.

Colônia Antônio Aleixo

Construido como antigo abrigo e centro de tratamento de pacientes do leprosário do Paricatuba, o bairro hoje conta com 16.602 habitantes e 11.141 eleitores, em 3.630 m2. A Colônia Antônio Aleixo tem comércio independente da região mais central da zona Leste. À beira do rio Negro, o bairro começa a atrair flutuantes de lazer para turistas e locais. A comunidade conta com uma rádio comunitária com informes diários sobre notícias e negócios da região. Além de quatro unidades básicas de saúde, o bairro tem o Hospital Maternidade Chapót Prevost e a Policlínica Antônio Aleixo. 

Puraquequara 

O Puraquequara é uma área ainda quase rural. Com vista para o rio Negro e o Encontro das Águas, a região possui sítios, balneários, e concentra locais de produção rural pelos comunitários. São 5.856 habitantes e 4.561 eleitores, que residem em uma área total de 2.850 m2. Apesar de o local ter um atrativo turístico, como fica na beira do rio, ainda é pouco explorado pelo setor. O bairro possui três unidades básicas de saúde e quatro escolas municipais.

Armando Mendes

O Armando Mendes é um lugar com muitos projetos sociais ligados ao empreendedorismo, entre outras vertentes. Os projetos comunitários também visam inserir as crianças no esporte, tendo a educação como sustentação para uma melhor qualidade de vida dos seus moradores, junto com a igreja católica e evangélica. Em seus 3.630 m2 de área, residem 28.288 habitantes, sendo que 19.458 têm título de eleitor. São três unidades básicas de saúde no bairro, que também conta com cinco escolas municipais, além de uma estadual.

Zumbi dos Palmares 

Zumbi dos Palmares é um bairro vizinho ao São José, e tem uma zona comercial forte, com lojas de atacado varejo, principalmente de material de construção. Em seus 2.850 m2, residem 35.159 pessoas –sendo 26.711 eleitores. Na região, está o Ifam (Instituto Federal do Amazonas), que possui diversos cursos técnicos.  O bairro tem nove unidades básicas de saúde e um Caic, além de nove escolas municipais, uma creche, e duas escolas estaduais.

São José Operário 

Bairro que inicialmente foi planejado para abrigar pessoas atingidas pela cheia e de outros Estados, o São José tem atualmente 66.169 habitantes –sendo 54.601 eleitores –morando em uma área total de 3.370 m2. O bairro representa o começo da ocupação da zona Leste e hoje é uma região desenvolvida, com viadutos, shoppings centers, etc. Unidades de saúde – Possui sete unidades básicas de saúde, o Hospital João Lúcio e a Maternidade Ana Braga. Conta com quatro escolas municipais e outras quatro estaduais, além de uma creche. Uma característica tradicional do bairro é a festa do padroeiro São José Operário, comemorada no dia 1º de maio.

Tancredo Neves

O bairro possui esse nome em homenagem ao ex-presidente da república, Tancredo de Almeida Neves –o único a falecer antes de tomar posse. Com 48.833 habitantes em 3.630 m2, a região concentra um dos pontos de maior comércio da zona Leste. Cortado pela avenida Grande Circular, tem shoppings, supermercados, feiras, comércio de roupas e lojas de materiais de construção, dentre outras. A saúde é fortalecida por oito UBS e uma policlínica. Há 11 escolas municipais e uma creche, além de seis escolas estaduais.

Jorge Teixeira 

É outra região da zona Leste caracterizada pelo forte comércio. Seu ícone é a rua Brigadeiro Hilário Gurjão, mais conhecida como a rua do Fuxico. O nome foi dado, segundo os moradores, por conta de que havia na região duas senhoras que passavam o dia ‘fuxicando’. Com 112.879 habitantes e 73.637 eleitores em uma área de 5.960 m2, a região concentra um comércio de atacado e varejo sendo referência em toda Manaus. O bairro conta com 12 escolas municipais e cinco escolas estaduais, além de 12 unidades básicas de saúde e o Hospital Platão Araújo.

Gilberto Mestrinho

O Gilberto Mestrinho nasce do desmembramento de outro bairro, chamado Grande Vitória. Com área de 1.109 m2, o bairro tem 20.655 habitantes e 24.198 eleitores. Essa diferença se deve ao fato de muitos dos eleitores serem moradores de bairros próximos e ainda não terem alterado seus títulos. Um fato curioso dos moradores serem praticamente vizinhos das fábricas do Polo industrial de Manaus ou vice-versa. A localidade dispõe de três unidades básicas de saúde, duas escolas municipais e duas estaduais.

Reportagem de Sandro Abecassis

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email