Dados errados prejudicam segurados

Mais de 17% dos segurados fornecem dados errados ao agendar atendimento na Central 135. Das 329.538 ligações de confirmação de agendamento, feitas pelos atendentes do 135 desde 18 de junho até o dia 21, 58.747 (17,82%) não foram loca­lizados­ –nem o telefone nem o no­­­­me do segurado eram corretos.

Os segurados de São Paulo, justamente onde o tempo de espera por agenda é quase duas vezes maior que a média nacional –49 dias– estão entre os que mais fornecem dados incorretos –26,78%. Em seguida estão os segurados dos Estados Minas, Rio de Janeiro e Espírito Santo. Na sequência, estão os Estados do Nordeste, com 17,92%, os dos Estados do Sul (16,29%) e os do Norte e Centro-Oeste (13,07%).

Os segurados que ligam pa­­ra o 135 para agendar atendimen­to e informam nomes e telefo­nes errados ou inexistentes, pre­­judicam aqueles que realmen­te necessitam do serviço.

Informações erradas também prejudicam a eficácia de serviço de confirmação do ­agen­­damento implantado pe­­­lo INSS (Ins­­titu­­­to Nacional do Segu­­ro Social) e, consequen­­temente, impede a boa gestão­ da agenda das APS, cujo ­ob­­jetivo é abrir mais vagas para os ­segurados que precisam agendar atendimento no caso de haver desistências.

O INSS estuda medidas pa­­­ra resolver problemas pro­vocados por informações incorretas, já detec­tados antes e confirmados desde que os operadores da Central começaram a confirmar o agendamento.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email