Não há nada mais democrático do que a moda. Muitas vezes ela sai da mente criativa de profissionais da área direto para passarelas e de lá ganha o mundo. Um bom exemplo, são os jeans e camisetas que se tornaram peças coringas no guarda-roupa de qualquer fashionista de plantão. E justamente dentro desse cenário versátil, a moda manauara busca inspirações para atender um mercado local que transita do chique ao popular contou a blogueira amazonense, Carolina Heinrichs do blog Toque de neon (@carolheinrichs). “O segredo de ter estilo é saber usar peças bem acabadas e bonitas, mesclando com tecidos populares que também oferecem qualidade e bom preço”, disse.

Formada em nutrição, a blogger acompanhava outros canais e resolveu reunir moda, viagens, gastronomia e achados em seu próprio espaço. Atualmente ela contabiliza mais de 80 mil seguidores nas redes sociais e meio milhão de visualizações no Youtube. “Criei o blog para mostrar que é possível estar na moda consumindo fast fashions “, afirmou. Para ela, o manauara já teve a cabeça mais fechada em relação a moda, mas vem se preocupando cada vez mais em seguir tendências.

“É importante lembrar que embora o nosso clima seja similar ao do carioca, o nosso estilo não é. Muita gente ainda anda no sol de calça jeans, usando tecidos escuros e pesados. A dica é investir em peças de tecidos mais fluidos, vestidos e saias em comprimentos médios de estampas leves, cores mais claras, shorts, chapéus, rasteirinhas ou tênis para compor o look diário”, orientou.

Para ela, a mulher manauara pode aproveitar o clima amazônico que parece sempre ter cara de verão e investir em peças nesse sentido.”Isso porque dar pra aproveitar as tendências de moda que rolam no resto do Brasil. Por exemplo, agora acredito que duas tendências fortes devem durar essa temporada, que são os bordados, aplicações de vários tipos nas roupas, nos florais, folhas e ainda as estampas tropicais com folhas, frutas e animais”, comentou.

Sobre incrementar peças e acessórios da cultura regional, a blogueira comentou que depende da época e ocasião. “Algumas composições pedem o uso e dá pra adicionar colares e pulseiras de sementes, tem ainda brincos de folhas banhadas que viram acessórios modernos carregados de regionalidade”, destacou.
Segundo Carol, que busca inspirações em bit girls famosas e influentes como Camila Coutinho e Tassia Navez, dois grandes motivos sentenciaram sua escolha por esse universo. “Primeiro foi pensar que montava looks tão bons e baratos quanto de outros canais e também para tentar adequar a moda ao nosso clima. Tem que ver o que combina com Manaus, talvez pegar só as cores e adaptar em outras peças, de acordo com a nossa região”, disse. Após decidir investir no ramo, a blogger já fez diversos cursos como de personal style e jornalismo de moda, além de marcar presença desde 2012 no SPFW para se manter atualizada das tendências.

Peças joviais, sem estampas e babados
Para a proprietária da Visu 458 Boutique (@visu458), Inêssa Cohen, a diversidade do gosto manauara é imenso e conta que a procura por determinado tipo de roupa, depende do período do ano e do perfil do cliente. “Acredito que na moda manauara a procura é por fase. No início do ano, por exemplo, as roupas mais leves como blusas, saias e bermudas ganham as vitrines por conta do calor amazônico.

Já no fim de ano, os vestidos para diferentes festas lideram as buscas”, disse. E fiquem antenadas, que a partir de dezembro, as novas peças da coleção de Fim de Ano da loja começam a chegar.

Inêssa também explicou que na hora da compra, a mulher regional tem preferência por peças mais joviais, sem estampas e babados. “As roupas mais lisas com cortes retos e justos, que valorizam o corpo são as apostas, principalmente para baladas noturnas e o pretinho básico reina absoluto”, contou ela, destacando que peças regionais ainda são pouco valorizadas pela própria terra. Ainda segundo Inêssa, com a tendência de casamentos realizados durante o dia, os vestidos médios em tons pastéis tem também ganhado espaço no guarda-roupa local.

Ainda de acordo com a empresária, o segmento de moda feminina foi mais uma atividade atingida em cheio pela crise econômica do país. “Aqui se vestiu bem, a cliente compra. Mas ultimamente a procura por peças mais em conta aumentaram, antes tinha a questão da marca, ou seja, a crise mudou o perfil do consumidor”, comentou. Especializada em moda feminina, a loja Visu 458 possui mais de 11 mil seguidores nas redes sociais e fica localizada na Rua João Valério, 245, no Vieiralves.

Muito glamour e brilho
Há três anos o estilista Caio Santana atua no mercado de moda amazonense criando peças com cortes especiais, sofisticados e exclusivos. Especializado em vestidos de festas, o profissional abriu o ateliê Sant’ana Fashion Designer (@fashiondfashion) e contou que nos últimos anos o segmento da alta costura tem crescido no Amazonas. “É um mercado que só cresce na medida que surgem grandes profissionais. Com isso, o público investe em peças criadas por artistas locais e a moda se expande cada vez mais”, afirmou. Segundo ele, em suas criações não podem faltar brilho, muita pedraria e cristais.

Apaixonado por moda feminina, Santana explicou que a mulher manauara é sensual por natureza e bastante decidida na hora de escolher o traje que pretende usar. “O estilo de vestido mais usado por ela é o sereia, que valoriza as curvas e nunca sai de moda. As cores padrão são preto e vermelho, mas tons mais nudes e rosé tem ganhado espaço”, disse. “Em maioria, as mulheres locais são exigentes e sabem o que querem. Nós apenas pegamos a ideia, processamos e fazemos algumas modificações, quando necessárias, levando em consideração o biotipo e gosto dessa cliente”, acrescentou.

Levando em consideração as altas temperaturas do Amazonas, Santana deu dicas para quem busca arrasar com muito estilo e conforto em qualquer época do ano. “Nesse caso, indico tecidos leves como a seda para dar mobilidade sem sofrer com a temperatura”, frisou. Segundo ele, as tendências de moda que seguem firmes durante o ano são o uso da renda, ilusion (segunda pele) e os tons pastéis e nudes. “Elas permanecem nessa temporada por não saturaram e nem caíram em decadência”, garantiu.

Além do criar e fazer vestidos delicados para noivas, madrinhas, formandas, debutantes entre outras ocasiões especiais, o estilista já teve oportunidade de mesclar a alta costura com a cultura regional. “Foram em trabalhos mais temáticos e específicos, onde pude usar penas, miçangas indígenas e sementes de açaí. Atualmente não incorporo esse tipo de peças nas minhas criações, mas tenho um projeto futuro com acessórios feitos utilizando couro de peixe”, revelou Santana. O estilista que começou a carreira por acaso, diz que investe constantemente em novas técnicas para se manter antenado nas novidades do mercado.

“Me formo na faculdade de designer de moda ano que vem, mas em paralelo a isso faço cursos em outras cidades e a distância para agregar valor e conhecimento”, explicou. Quando abraçou a profissão, Santana se matriculou no Senai, no curso de Modista Costureiro, o básico de quem quer entrar no mundo da moda. Depois se aperfeiçoou no curso de Modista, se especializou em Desenho de Moda e se profissionalizou em Acabamento em Roupas Sociais. Em busca de um diploma, inscreveu-se na Faculdade de Moda, no polo amazonense da UniCesumar, Universidade cuja sede fica em Maringá (PR).

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email