16 de abril de 2021

Cutrale, LDC, Citrosuco e Citrovita criam nova associação no Brasil

A entidade, ainda sem nome, vai substituir a Abecitrus (Associação Brasileira dos Exportadores de Cítricos), que só existe juridicamente, pois perdeu a representatividade desde que passou a ter apenas a Cutrale como associada

As quatro grandes processadoras e exportadores de suco de laranja do país –as brasileiras Cutrale, Citrosuco e Citrovita, além da francesa LDC (Louis Dreyfus Commodities)– se uniram em uma nova tentativa de criar uma associação no Brasil para representá-las institucionalmente. A entidade, ainda sem nome, vai substituir a Abecitrus (Associação Brasileira dos Exportadores de Cítricos), que só existe juridicamente, pois perdeu a representatividade desde que passou a ter apenas a Cutrale como associada, após as saídas de outras empresas.
“As quatro processadoras decidiram se reposicionar de forma setorial, porque pagam muito caro por não ter essa ação. A quantidade de coisas que se escrevem e falam sobre elas é muito ruim”, disse Christian Lohbauer, que deixou o cargo de diretor-executivo da Abef (Associação Brasileira dos Produtores e Exportadores de Frangos) para ser o diretor-presidente da nova entidade das indústrias de citros.
Lohbauer explicou que a associação das quatro processadoras pretende “reagir à quantidade enorme de acusações que existem”, entre elas as práticas de cartel na compra de fruta no Brasil e de dumping na venda de suco de laranja nos Estados Unidos. Para o executivo, a entidade, que deve ser formalizada ainda em maio, não vai ter como meta a abertura de mercado para o setor no exterior, ação principal da Abecitrus. “O acesso ao mercado segue com cada empresa. Vamos cuidar de questões gerais de interesse de mais de uma exportadora”, explicou.
Lohnbauer, que não tem experiência profissional no mercado de citros, admitiu ainda priorizar a paz entre indústrias e citricultores dentro do processo de mudança da imagem do setor produtor exportador de suco de laranja. “A missão é comunicar e estruturar a imagem do setor, porque há uma diferença muito grande entre o que se faz e o que se fala. Acho que tem de equilibrar esse antagonismo tão virulento entre produtores e processadores”, concluiu Lohbauer.
As quatro grandes produtoras de suco de laranja no Brasil, maior produtor e exportador mundial de suco de laranja, controlam um mercado que exporta cerca de US$ 2 bilhões por ano e está entre os principais itens da pauta externa do agronegócio brasileiro.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email