Custo da construção cresce 0,37%

O INCC (Índice Nacional de Custo da Construção -M) registrou em janeiro variação de 0,37%, ante alta de 0,59% no mês anterior. No ano e nos últimos 12 meses, o índice acumulou variação de 7,42%.
O INCC-M é calculado com base nos preços coletados entre os dias 21 do mês anterior e 20 do mês de referência. O índice relativo a materiais, equipamentos e serviços registrou variação de 0,42%. No mês anterior, a taxa havia sido de 0,13%. No índice referente a mão de obra, registrou-se variação de 0,32%. No mês de dezembro, a taxa foi de 1,08%.
No grupo materiais, equipamentos e serviços, o índice correspondente a materiais e equipamentos registrou variação de 0,22%. No mês anterior, a taxa havia sido de 0,09%. Os quatro subgrupos apresentaram acréscimo em suas taxas de variação, com destaque para materiais para instalação, cuja taxa passou de 0,47% para 0,76%. Contribuiu também para o avanço da taxa do índice o subgrupo materiais para estrutura (-0,07% para 0,04%).
A parcela relativa a Serviços passou de uma taxa de 0,25%, em dezembro, para 1,21%, em janeiro. Neste grupo, vale destacar a aceleração do subgrupo serviços pessoais, cuja taxa passou de 0,32% para 2,16%.
O grupo mão de obra registrou variação de 0,32%, em janeiro. Em dezembro, a taxa havia sido de 1,08%. Em Belo Horizonte, este grupo teve sua taxa de variação reduzida de 8,54% para 2,77%, à medida que se conclui a captação do efeito do reajuste anual de salários.
Quatro capitais apresentaram desaceleração: Brasília, Belo Horizonte, Recife e Porto Alegre. Em sentido oposto, Salvador, Rio de Janeiro e São Paulo tiveram aceleração.

Aumenta crédito para compra de imóveis

Mesmo com a alta nos custos da construção civil, o volume de crédito para compra de imóveis no Brasil, só aumenta.
As operações de financiamento para habitação lideraram a expansão dos empréstimos no ano passado. De acordo com dados divulgados nesta quarta-feira pelo BC (Banco Central), essas operações para o setor imobiliário cresceram 3,9% em dezembro, na comparação com novembro, e acumularam expansão de 51% em 2010. No fim de dezembro, a carteira de crédito para o setor somava R$ 138,746 bilhões.
Outro segmento com expansão expressiva foi o comércio. As linhas de crédito cresceram 2,1% no mês e acumularam expansão de 26,5% no ano, somando R$ 172,490 bilhões. Para a indústria, a carteira teve expansão de 0,4% no mês e de 18,5% em 2010.
No fim do ano passado, o total de empréstimo somava R$ 361,087 bilhões. Para as pessoas físicas, o total de empréstimos teve expansão de 1,7% em dezembro ante novembro e acumulou alta de 18,4% em 2010, para R$ 547,343 bilhões.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email