18 de abril de 2021
O procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, afirmou ontem, antes da sessão do STF

O procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, afirmou ontem, antes da sessão do STF (Supremo Tribunal Federal), que ordenou uma auditoria nos gastos do Ministério Público com cartões corporativos.
O jornal O Estado de S.Paulo revelou, no último domingo, que servidores da Justiça Federal e do Ministério Público movimentaram R$ 2,1 milhões no ano passado por intermédio dos cartões. Desse total, R$ 1,288 milhão foi sacado e R$ 849,3 mil foram gastos em lojas de vestuários e conveniências.
De acordo com os dados referentes ao MP, de cada R$ 10 gastos com cartões, R$ 6,40 foram retirados em espécie dos cofres públicos e usados em compras.
Antonio Fernando disse ainda que não sabia da existência desses cartões no MP e afirmou que, se houver irregularidades, os responsáveis serão punidos. “Mandei fazer uma auditoria para ver se há algum desvio, que evidentemente pode ocorrer. E se ocorrer, será punido”, disse.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email