Culinária regional dentro do cone

Caboclo é aquele indivíduo nascido da mistura de índia com branco, ou branca com índio, resultando numa pessoa de pele acobreada, cabelos negros e lisos. A maioria dos amazônidas é assim. Caboco é uma corruptela de caboclo, e é uma palavra tão nossa, que nem no dicionário existe, acabando por denominar todo aquele que mora aqui e gosta dessa terra. Aproveitando o fato de manauenses e manauaras serem cabocos, e haver essa identificação como tal, os empreendedores Ewerton Oliveira e Alfredo Filho lançaram um produto não necessariamente novo, mas diferente e com um conceito distinto, o cabocone, que também dá nome à sua lanchonete, no Centro de Manaus.

“O produto resultou de um projeto piloto, que eu fiz na faculdade de marketing. Precisava ser algo diferente e inovador, então pensei no canudinho, que todos comemos em festinhas de aniversário, e é um salgado admirado pela maioria das pessoas. Mas precisava ser inovador. Aumentei o tamanho do canudinho e ele virou um cone. O recheio é regional, o mais variado possível. Assim surgiu o cabocone”, explicou Alfredo.

Objetivo é valorizar a culinária regional
Foto: Divulgação

Já a lanchonete, quase um pub, localizada na av. Joaquim Nabuco, surgiu a partir do produto, inaugurada em julho do ano passado.

“Devido às restrições por causa da pandemia, logo viabilizamos o delivery dos produtos da Cabocones e o sucesso foi imediato. Acredito que pela memória afetiva que as pessoas têm do canudinho aliada aos recheios serem regionais, os pedidos começaram a chegar, e desde então tem sido assim”, confirmou Ewerton.

Salgados e doces

Quem idealiza os recheios é Alfredo. Apesar de ter cursado a faculdade de marketing, ele gosta de cozinhar e criar na culinária amazônica, qualidades herdadas da mãe, que o ajuda nas dicas. Ele começou com uma receita de creme de tacacá e foi testando outras. Para facilitar no recheio dos cones é necessário que esses recheios sejam cremosos. Atualmente o cardápio da Cabocones reúne cinco sabores salgados, cinco doces, mais combos.

Entre os salgados, tudo bem fácil de comer: purê de macaxeira e carne desfiada; creme de milho com bacon crocante e camadas de frango desfiado; purê de banana pacovã e pirarucu seco desfiado. E não faltam o queijo coalho, o tucumã, a banana frita e o pioneiro creme de tacacá com jambu e camarão até o tucupi.

“Somos uma lanchonete, um fast food regional, como gosto de dizer, onde o cliente pode degustar as nossas delícias regionais de outra maneira, mas com o mesmo sabor”, falou Ewerton.

“Ainda não estamos abrindo para o café da manhã, mas já servimos café expresso, capuccino e café coado, para quem desejar passar algumas horas de tranquilidade aqui no Cabocones, inclusive disponibilizamos uma pérgula, na frente da lanchonete, que se tornou um espaço instagramável”, completou.

Para os apreciadores do doce, os cabocones nesse sabor também são cinco: a cocada com doce de cupaçu; o brigadeiro de banana frita com canela; o mousse de cacau com castanha, ou de limão com suspiro; e a paçoquinha.

Três combos, com quatro sabores cada, mais refrigerante ou suco, são disponibilizados para os clientes.

Novos itens em breve    

Em breve, abrindo para o café da manhã
Foto: Divulgação

O sucesso das vendas dos cabocones só foi interrompido, no começo do ano, quando o comércio foi obrigado a fechar suas portas e até o delivery sofreu o impacto dessa situação.

“Sim. As vendas ficaram ruins. Felizmente, assim que o comércio voltou a reabrir, e o Cabocones também, agora no final de março, as coisas melhoraram e os cabocones voltaram a sair. Apesar de um fast food remeter a um público jovem, a maioria de nossos clientes é de adultos jovens, principalmente feminino. Acho que tem a ver com a memória afetiva do canudinho, como disse o Ewerton”, reforçou Alfredo.

O Cabocones funciona de terça-feira a domingo, das 13h às 21h30 e disponibiliza 40 lugares sentados, tanto internamente quanto na área externa, na pérgula. A música ambiente é regional, dos cantores e compositores amazonenses, além das toadas de boi bumbá. O ambiente também é decorado com motivos regionais, inclusive com uma biblioteca de livros de autores cabocos. Em breve deve abrir para o café da manhã.

E novos itens estão sendo pensados para enriquecer o cardápio do Cabocones, como o recheio de tambaqui, ainda em fase de testes, e o néctar amazônico, este, um drinque preparado à base de cachaça de jambu, limonada, néctar de mangarataia e hibisco.

“Queremos reforçar essa coisa de valorização da nossa terra, de Manaus, tanto que nosso slogan é ‘Made in Manaus’. Sou paraense, mas amo Manaus”, declarou Alfredo.

O Cabocones está localizado na av. Joaquim Nabuco, 2039, próximo ao posto Shell. Redes sociais: Cabocones. Informações: 9 8220-1258.

Foto/Destaque: Divulgação

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email