Cuidados com os pés favorece a saúde

Você já parou para pensar que os pés aguentam o peso de nosso corpo? Quando corremos este peso é ainda maior. E os obesos? E o sofrimento dos pés quando são usados saltos altos ou sapatos apertados? Pois os podologos existem para dar atenção especial aos pés e aliviar seu sofrimento.

A podologia é uma ciência dedicada a diagnosticar, prevenir, estudar, investigar e tratar as patologias dos pés, mas não só isso.

Iniciada no princípio do século 20, somente agora este tipo de tratamento começa a ter um número expressivo de profissionais especializados, em Manaus.

Patrícia Vasco inaugurou sua clínica All Feet Podologia, no dia 11 passado, mas há cinco anos vem atuando em outras clínicas e já tem uma carteira fiel de clientes.

“Sim, porque você precisa tratar sempre dos seus pés, como precisa tratar de qualquer outra parte do seu corpo, principalmente se seus pés têm algum tipo de patologia”, esclareceu.

Diferente dos pedicures, que apenas embelezam os pés dos clientes, o podologo os trata e os embeleza também.

“Se a pessoa não tem nenhuma patologia, pode apenas cortar corretamente as unhas, tratar das rachaduras no calcanhar, tirar calos e calosidades, fazer hidratação e massagem. Interessante os clientes falarem que depois desse tratamento básico, que dura em média uns 40 minutos, sentem como se tivessem tirado um peso dos pés”, contou.

O maior problema

Falando em cortar corretamente as unhas, Patrícia informou que o maior problema apresentado pelos seus clientes são as unhas infeccionadas resultante de unhas encravadas. Geralmente a unha encravada dá no ‘dedão’ do pé. Acontece quando a borda da unha cresce e entra na pele do dedo. 

“Sapatos muito apertados ou mesmo um corte feito incorretamente podem levar à unha encravada e à infecção. Nesse caso, só um podologo pode ajudar, pois a infecção resulta de um pedaço de unha morta que ficou dentro da carne e precisa ser retirado com um tratamento indolor, após utilização de anestesia em spray”, explicou.

Como a podologia é uma área da saúde relativamente nova, em Manaus, muitas pessoas não sabem como e onde cuidar de problemas que surgem nos pés, e sofrem com esses problemas, antigamente pela vida toda.

“Entre as situações que aparecem para cuidarmos, as mais frequentes são calos e calosidades, fungos, fissuras no calcanhar, verruga plantar (o famoso olho de peixe), frieira (pé de atleta) e o pé diabético”, informou.

E ainda tem joanetes, feridas, micoses, úlcera dos pés, psoríase, pele seca, excesso de transpiração, mau cheiro (o também famoso chulé).

“A diferença do calo pra calosidade, é que o calo surge devido ao atrito constante em determinada região do corpo, no caso, em algum dos dedos, e a calosidade aparece nas palmas dos pés, geralmente provocada pelo uso de botas, por militares, em operações nas quais eles praticamente não as tiram dos pés. Nos dois casos o sofrimento é grande. O tratamento elimina o sofrimento, mas aí o uso de sapatos apertados e botas precisa ser revisto”, ensinou.

Já os fungos e fissuras no calcanhar surgem por situações totalmente opostas. Uns aparecem pelo excesso de umidade, as outras, pela falta.

“Pés que suam muito dentro de meias (principalmente se forem sintéticas) e sapatos, por longas horas, são o local propício para o surgimento dos fungos, e se a pessoa não tem o hábito da higiene dos pés, aí o mau cheiro será um companheiro insuportável”, falou.

“Já as fissuras surgem pela falta de hidratação dos pés, ainda mais se a pessoa tem o hábito de andar descalça, mas é um problema relativamente fácil de ser tratado”, acrescentou.

Os perigos do pé diabético

O pé diabético é a situação mais grave observada por um podologo. Essa complicação ocorre quando uma área machucada ou infeccionada nos pés desenvolve uma úlcera. Seu aparecimento pode ocorrer quando a circulação sanguínea é deficiente e os níveis de glicemia são mal controlados. Qualquer ferimento nos pés deve ser tratado rapidamente para evitar complicações que possam levar à amputação do membro afetado.

“Geralmente, entre os meus clientes, as pessoas com pé diabético já têm idade bem avançada e, por causa disso, não conseguem ver, ou não conseguem entender, quando surge algum tipo de ferida em seus pés. Certa vez atendi uma cliente, muito idosa, que tinha uma pequena bolha entre os dedos. Avisei para o filho dela, que a levou até o médico, e este disse que se não a tivesse levado logo para diagnóstico, ela poderia ter tido o dedo amputado”, lembrou.

Patrícia lembra que, dependendo do problema nos pés, o tratamento pode ocorrer por toda a vida, mas é sempre bom realizar, periodicamente, o que ela chama de podologia tradicional, ou proporcionar o embelezamento de unhas e pés, “pois é muito relaxante”, concluiu.

A All Feet Podologia atende com hora marcada e, nesses tempos de quarentena, apenas um cliente por vez no interior da clínica, e a higienização já é usada obrigatoriamente em qualquer clínica de podologia.

As profissionais da clínica atendem de segunda a sexta-feira, das 9 às 18h; e aos sábados, das 9h às 16h, na rua Loris Cordovil, 13, sala 2, quadra K – Alvorada. Fones: 9 9183-0469 / 3083-0135 – Instagram: all.feet.podologia.  

Fonte: Evaldo Ferreira

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email