Críticas ao Câmara Cidadã causam irritação a Feitoza

O presidente da Câmara Municipal de Manaus, Leonel Feitoza (PSDB), reagiu com vigor, hoje, às críticas feitas contra a Câmara Cidadã, por um jornal da cidade. Abandonando o seu estilo pacato, Leonel Feitoza ocupou a tribuna da Câmara Cidadã, realizada ontem na escola Edinir Telles Guimarães, no bairro Jorge Teixeira 4 e defendeu o projeto com entusiasmo.
“Em 20 anos de vida pública jamais vi um projeto igual a esse, que tenha a preocupação de se aproximar das comunidades, de ir pra perto do povo”, disse Leonel Feitoza, que recebeu o apoio de vários vereadores presentes à sessão de ontem.

“Querem escamotear a verdade e não enxergam o benefício que a população recebe. Isso aqui é um espaço aberto, democrático, para que a população possa reivindicar melhorias para o seu bairro”, afirmou o presidente. Ele lembrou que a Câmara Cidadã estabeleceu uma firme parceria com a Prefeitura de Manaus, que está indo aos bairros e atendendo aos pedidos dos moradores, a exemplo do que ocorre hoje no Mauazinho, local onde foi realizada a quinta Câmara Cidadã, em agosto, e que hoje recebe uma frente de obras com 19 equipes e 150 homens da prefeitura. O presidente também leu uma lista de benfeitorias realizadas nas outras comunidades por onde já passou a Câmara Cidadã, nos últimos seis meses.
A reação do presidente foi à matéria de uma página publicada em um jornal local, que aponta “a falta de resultados” e coloca em xeque o papel institucional da Câmara e de seus vereadores que, de acordo com a reportagem, “têm pouca ingerência sobre os problemas crônicos da cidade”.

O presidente ficou especialmente irritado porque a reportagem ouviu apenas um vereador – Nelson Amazonas (PMDB) – que sustentou o tom da matéria, de que a Câmara Cidadã é um projeto vazio. “Infelizmente, o jornalista se deu ao trabalho de ouvir apenas um dos 37 vereadores e exatamente aquele que, em um semestre de sessões já faltou 30 dias, usando licenças médicas ou simplesmente faltando”, disse o presidente. Nelson Amazonas esteve presente na escola Edinir Telles Guimarães, mas se retirou pouco antes do pronunciamento de Leonel Feitoza.

Leonel rebateu a crítica feita pelo vereador, de que o parlamento deveria trazer o povo para dentro da CMM e não ir aos bairros. “Isso é típico de quem prefere o ar condicionado dos gabinetes ao contato com o povo.Ninguém aqui tem o direito de ignorar que a maioria das pessoas sequer tem o dinheiro do ônibus para se deslocar de uma comunidade como o Jorge Teixeira, por exemplo, para o Santo Antônio, onde fica a sede da Câmara”, lembrou o vereador.

Além dos benefícios diretos às comunidades, Leonel lembrou que a Câmara Cidadã, em parceria com o Tribunal de Justiça do Amazonas e com as secretarias municipais, realiza um verdadeiro mutirão de cidadania, durante as sessões itinerantes da Câmara. Só na manhã de ontem, por exemplo, mais de 1.200 pessoas foram atendidas por conciliadores da Justiça, por médicos, dentistas, assistentes sociais e psicólogos. Além da presença de secretários e assessores, que interagem diretamente com os moradores.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email