Cristóvam Buarque quer movimento ‘Cansei’ também dos pobres do país

Osenador brasiliense qualificou também de “insuficiente” o movimento “Cansei”, encabeçado pela seccional de São Paulo da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil). Ele sugeriu que os brasileiros mais carentes deveriam também “se cansar” e protestar.
“O Brasil finalmente levantou a bandeira do cansado, mas uma bandeira insuficiente”, disse o senador.
Cristovam parabenizou o movimento “Cansei” e disse que participará do minuto de silêncio em homenagem ao Brasil que o movimento pretende promover no próximo dia 17 – quando o acidente com o avião da TAM que explodiu no Aeroporto de Congonhas (SP) completa um mês. Ele considerou, no entanto, o movimento “pequeno”, uma vez que o “cansaço” é só com problemas que atingem diretamente ‘os que têm privilégios’.
As entidades que promovem o movimento dizem que a população está cansada, entre outras coisas, “com o caos aéreo, com o governo paralelo dos traficantes, com as crianças nas ruas, com os empresários corruptores, com as balas perdidas, com tanta corrupção e com não fazer nada”.
“Não é só em aeroporto que a gente espera, é em parada de ônibus também, debaixo de sol e chuva, com assalto. Nós precisamos cansar mais do que o movimento “Cansei” está fazendo”, disse Buarque.
Para o senador pelo DF, é preciso cansar também do caos no transporte público brasileiro, das escolas mal aparelhadas, das filas nos hospitais. O senador acredita que as mães das crianças pobres deveriam se cansar também e reclamar, exigindo mais qualidade nas escolas, protestando junto aos prefeitos e até ajudando professores que fazem greves por melhores salários.
“Cansem também. Está na hora de todo mundo se cansar. Vocês não comprariam uma televisão em uma loja que parecesse uma escola pública, mas deixam suas crianças lá. Cansem dessa história de que escola é restaurante-mirim. Estou cansado da falta de cansaço de uma parcela da população brasileira. Ou o povo cansa, vai para a rua e briga, ou não vai conseguir nada. Não pensem que daqui (do Congresso Nacional) sozinhos vamos conseguir mudar tudo”, afirmou o senador.
Atento ao discurso, o senador Sibá Machado (PT-AC) defendeu a necessidade de todas as crianças e jovens brasileiros terem acesso ao ensino médio. Para o senador, o Ministério da Educação deveria tratar apenas dos ensinos fundamental e médio.
Sibá defendeu que o ensino superior passe a ser responsabilidade do Ministério da Ciência e Tecnologia ou de um ministério exclusivo criado para esse fim. Já o senador Adelmir Santana (DEM-DF) disse que se emocionou com o discurso de Cristovam e reconheceu que o país tem uma dívida social imensa na área da educação.
O senador disse que a população não tem consciência de seus direitos constitucionais e se associou ao discurso de Cristovam.

OAB nega apoio

Após muita discussão, o OAB (Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil) decidiu não participar do Movimento Cívico pelo Direito dos Brasileiros, conhecido como “Cansei”.
“O Conselho Federal não fez juízo de valor sobre o movimento, entende que toda a sociedade deve se manifestar como bem entende, faz parte da democracia a manifestação da sociedade, mas não é um movimento do Conselho Federal”, afirmou o presidente da OAB, Cezar Britto.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email