Crise financeira e emprego são discutidos

Redução da taxa básica de juros, manutenção de empregos e ampliação da oferta de crédito são as principais ações defendidas pelo presidente do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), Marcos Pochmann, para minimizar os efeitos da crise financeira. Pochmann e técnicos do Ipea fazem palestras por várias cidades do país sobre o assunto. Além das questões ligadas diretamente à economia, os eventos também discutem as consequentes mudanças trabalhistas acarretadas pelas variações do cenário econômico atual.
O Ipea realiza um ciclo de palestra em todos os estados do país e este evento foi mais um dos que ocorrem este ano, como explica a deputada federal Vanessa Grazziotin (PCdoB). “Tivemos a preocupação de trazer para Manaus um evento desse teor para discutir as saídas para essa crise que também afeta o Amazonas. E ninguém mais indicado que o presidente do órgão que estuda especificamente essa questão”, explicou.

Lideranças presentes

A crise e a empregabilidade no Estado do Amazonas foi o tema da palestra realizada em Manaus, que contou com a presença de diversas lideranças sindicais, como a CUT (Central Única dos Trabalhadores) e Força Sindical. Wellington de Souza Gonçalvez, membro da direção do Sindicato dos Metalúrgicos do Estado do Amazonas, apoia a iniciativa. “O sindicato acredita em eventos como esse que visam a saída mais rápida e positiva para essa crise, e também a melhoria nas questões trabalhistas”, disse.
O local que recebeu a palestra, auditório da Reitoria da UEA, na Avenida Djalma Batista, bairro Flores, zona Centro-Sul, foi completamente preenchido. O titular da Sepror (Secretaria Estadual de Produção Rural) Eron Bezerra comentou, na abertura dos trabalhos, sobre a grande massa de trabalhadores desempregados no interior do Estado.
Segundo o secretário, existem cerca de 270 mil pessoas trabalhando no campo, que estão perdendo seus empregos. “As empresas de biocosméticos estão diminuindo a produção com a ausência de demanda e, com isso, demitem seus empregados que trabalham com extração de óleos essenciais”, exemplificou.
A vice-presidente do Corecon/AM (Conselho Regional de Economia do Amazonas), Arlene Gomes de Souza, disse que “são com ações práticas e abertas para a população como essas que chegaremos a uma saída de fato para essa crise”.

Presidente do Ipea aponta soluções para o momento

A acadêmica de serviço social, Ana Cláudia Pinheiro, 28, estava atenta a cada proposta. “Apesar de não estudar economia ou contabilidade eu acho que discussões como essas são importantes para todos os cidadãos e faço questão de participar”, enfatizou.
O presidente do Ipea, Marcos Pochmann, apontou algumas soluções para a superação da crise financeira. As principais são: redução da taxa de juros, distribuição igualitária de renda, aumento da oferta de crédito bancário, manutenção da elevação do salário mínimo e reforma tributária e educacional.

Atenção à educação

Para Pochmann, a educação deve merecer atenção especial do governo federal para acelerar o desenvolvimento humano e econômico do Brasil. “No Brasil temos trabalhadores que estudam, ao invés de estudantes que trabalham”, disse o presidente do Ipea, sobre a grande quantidade de estudantes que precisam trabalhar para complementar a renda familiar.
“A redução dos impostos sobre bens de consumo únicos e de grande valor, como automóveis e materiais do setor da construção civil, é prioritária para impulsionar a economia”. Pochmann defende que se os veículos de passeio tivessem metade dos quase 50% de tributos sobre o valor final, por exemplo, a indústria automobilística seria incentivada a produzir mais e, consequentemente, manter os empregos.
O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada é uma fundação pública federal, vinculada à Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República. Suas atividades de pesquisa fornecem suporte técnico e institucional às ações governamentais, para a formulação e reformulação de políticas públicas e programas de desenvolvimento brasileiros.
Os trabalhos do Ipea são disponibilizados para a sociedade por meio de publicações e seminários.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email