Crescimento do mercado amplia demanda por sistemas

Investir na educação, mais do que uma demanda do país, é também uma necessidade que tem crescido e ganhado notoriedade em todo o mundo. Recentemente, a atenção para o assunto ampliou com a fusão dos grupos Kroton Educacional e Anhanguera, que constituiu o maior grupo privado de ensino do mundo, com receita de R$ 4,2 bilhões e 1,2 milhão de alunos. Neste cenário altamente competitivo, um dos grandes desafios, tanto de pequenas como de grandes instituições, é a gestão estratégica de dados e informações, o que pode otimizar recursos, tempo de respostas para os clientes e o maior controle de processos, tais como as mais diversas movimentações administrativas, acadêmicas e financeiras. Por isso, cada vez mais os gestores tem recorrido à tecnologia como ferramenta para simplificar e garantir melhor qualidade e eficiência em seus negócios.
Nesse sentido, a mineira Starline tem recebido investimentos e crescido no mercado com suas soluções para a educação, como Smart, um Enterprise Resource Planning (ERP) específico para soluções desde demandas acadêmicas rotineiras até as mais complexas atividades administrativas. Segundo o CEO da Starline, Adriano Guimarães, o maior diferencial do Smart é seu módulo Customer Relationship Management (CRM), que possibilita entender melhor as necessidades e expectativas dos clientes, os mantendo atualizados com as demandas do mercado. O Smart oferece uma plataforma on-line na qual alunos, empregados e servidores podem interagir continuamente com a instituição. Em seu nível gerencial, o software oferece ainda relatórios com as principais métricas exigidas pelo mercado, colaborando para a tomada de decisões.
O Smart já é utilizado por mais de 30 Instituições de ensino, com grandes nomes como Fundação Getúlio Vargas, B.I. Internacional e a HSM, que trabalham com o software de gestão para mais de 50 mil alunos. Os grandes grupos em especial, como é o caso da gigante Kroton, têm claramente este tipo de demanda por sistemas robustos de informação, como ressalta Guimarães. “A demanda por softwares de gestão tem sido cada vez mais presente entre as universidades e por isso um software flexível poderá atender às mais específicas necessidades”, acrescenta.
Nos últimos anos, a educação brasileira passou por profundas transformações, especialmente em função dos incentivos governamentais e do consequente acesso em massa à educação. Embora não seja novo, o mercado da educação tem chamado a atenção de fundos de investimento para o segmento. E a modernização e sistematização do ensino é uma realidade inevitável das escolas e universidades, tanto no trato com os alunos, quanto em relação à gestão de dados, informações e serviços oferecidos. Como reflexo de uma boa gestão educacional, as empresas destacam o maior suporte aos alunos e colaboradores, agilidade e maior eficácia dos serviços prestados, estreitando os laços da instituição com a comunidade com que se relaciona.
Segundo o coordenador de TI da HSM Educação, Guilherme Zillig, por meio do software a instituição pode acompanhar o aluno desde o momento em que ele se interessa pelo curso até o momento em que ele se forma. O sistema processa as informações de modo transparente, sobretudo para os alunos que podem acompanhar tudo pela secretaria virtual.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email