Crescimento da economia aquece mercado publicitário

Acreditando que a propaganda é mesmo a alma do negócio, o mercado publicitário do Amazonas dá mostras de que vive um ótimo momento, puxado pelo crescimento econômico por que passa o Estado, que reflete no bom faturamento de empresas dos setores secundário e terciário, as quais precisam apresentar e divulgar cada vez mais seus produtos e serviços. Nesse contexto de divulgação e persuasão, as principais agências do Estado tem experimentado um expressivo crescimento nas suas receitas.
Um exemplo desse feliz casamento pode ser percebido no case (é assim que são chamadas as campanhas bem sucedidas) da Oana Publicidade. Considerada uma das maiores agências do Norte do país, a agência obteve faturamento anual em 2007 de R$ 30 milhões, e projeta elevar seu faturamento em 5% neste ano, atingindo R$ 31, 5 milhões, informou a presidência da agência. Do montante alcançado no ano passado, a Oana obteve um lucro líquido de aproximadamente R$ 12 milhões.
De acordo com o presidente da Oana, Edmar Costa, a agência só não terá maior faturamento devido à baixa procura dos serviços por parte de alguns clientes como a Suframa (Superintendência da Zona Franca de Manaus), Prefeitura Municipal de Manaus) e Manaus Energia. “Somos responsáveis por 50% do material publicitário da Prefeitura de Manaus, enquanto o restante do trabalho é dividido entre duas outras agências”, informou.
Edmar Costa, que também é vice-presidente da Alap (Associação Latino-Americana de Agências de Publicidade) criticou o trabalho desenvolvido por muitas agências de publicidades no Estado e classificou o mercado publicitário amazonense como mediano. “Algumas agências estão fazendo qualquer coisa para faturar. Não cobram a criação e reduzem a comissão a que têm direito legal,só para conquistar clientes”, comentou o publicitário.

Novos clientes

Para não perder espaço no mercado e não ter o seu faturamento comprometido, a estratégia adotada pela empresa é buscar novos clientes para sua carteira. “Acabamos de produzir uma campanha grande e inédita para os auditores fiscais da Receita Federal e para um lançamento de um shopping em Porto velho.”, destacou Costa.
Entre os clientes fora do Amazonas, estão a Hidrelétrica de Furnas, a empresa de cimento Votorantim, concessionárias de carros, entre outros que, junto com os clientes locais, somam uma carteira composta por 60 clientes.
Vale ressaltar que o crescimento do faturamento nas agências também significa incremento no faturamento das grandes empresas de comunicação (jornal, rádio, TV, internet, entre outros), já que os serviços dessas empresas é criar peças publicitárias para os veículos de mídia, dando assim movimentação à cadeia de valor do sistema produtivo de comunicação.

Serviços variam de simples criações a inovadoras e originais campanhas

O diretor de criação da Tape, Rodrigo Ribeiro, concordou com o executivo da Oana, e reforçou que muitos clientes deixam de ter um trabalho de qualidade só por causa do baixo preço cobrado por pequenas agências.
Atualmente a carteira de clientes da Tape é de 20 clientes que procuram serviços comunicação que vão desde a criação de marcas até a criação de mídia. “Nos sete primeiros meses deste ano, a procura pelos nossos serviços cresceu 20%, se comparado ao mesmo período do ano passado”, explicou Rodrigo Ribeiro.
A Tape não informou o seu faturamento, alegando que a segurança dessa informação é uma estratégia empresarial. Tanto a Tape quanto a Oana Publicidade informaram que não estão trabalhando nas campanhas eleitorais deste ano.
Para o publiciário da Oana, Edmar Costa, atuar em uma campanha requer grande atenção e muitas vezes acaba prejudicando o relacionamento da agência com seus demais clientes.
Segundo o presidente da Abap (Associação Brasileira das Agências de Publicidade), Edson Gil Costa, as principais agências do Estado devem apresentar um crescimento médio em seu faturamento variando em torno de 5% a 10%. A praça de Manaus conta com seis agências filiadas à Abap e 27 filiadas ao Cenp (Conselho Executivo de Normas Padrão).
Com vasta experiência no varejo, a Oana possui entre os seus principais clientes lojas e empresas do comércio varejista, que exigem sempre campanhas criativas para divulgar e fazer vender seus produtos. “Cerca de 70% dos clientes das agências são as construtoras de imóveis, concessionárias de veículos, operadoras de telefonia móvel, óticas e lojas de eletroeletrônicos, entre outros clientes sazonais como sapatarias”, informou Edson Costa.

Sobre a Oana

Fundada em 1970, Dia Nacional das comunicações, a Oana foi a primeira agência do país a receber o Certificado de Qualificação Técnica de nº. 000.0001 do CENP (Conselho Executivo das Normas-Padrão), que contempla as empresas de publicidade por regras e condutas adotadas de práticas éticas e comerciais entre os principais agentes da publicidade brasileira.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email