Crédito supera em 28% da safra passada

Os recursos liberados do crédito rural entre julho e setembro deste ano, R$ 13,13 bilhões, para custeio, comercialização e investimento da agricultura empresarial na safra 2007/2008, superam em 28% o montante liberado no mesmo período do ano passado. De acordo com o coordenador-geral de Análise Econômica da Secretaria de Política Agrícola, do Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), Marcelo Fernandes Guimarães, o valor desembolsado é 23% do total de crédito rural previsto para a agricultura empresarial nesta safra.

Segundo o coordenador, a tendência de concentração dos desembolsos para custeio e comercialização a taxas controladas permanece, o que torna os empréstimos mais acessíveis aos produtores rurais. “Para se ter uma idéia, dos R$ 12,06 bilhões liberados para o custeio e comercialização nos três primeiros meses da safra 2007/2008, 88% foram contratados a juros controlados. A taxa de juros controlada, que desde a safra 1998/1999 era de 8,75%, caiu para 6,75% ao ano na safra 2007/2008. Os juros do Proger Rural (Programa de Geração de Emprego e Renda Rural) também foram reduzidos, caindo de 8% para 6,25% ao ano”, disse.

Estabilidade monetária

Entre os recursos com juros controlados, o maior crescimento foi no desembolso das operações com recursos das exigibilidades, que aumentaram cerca de 70%, quando comparados ao mesmo período do ano anterior. Isso ocorre, segundo Marcelo Guimarães, em razão da estabilidade monetária, da redução de juros que favorecem o aumento dos depósitos à vista e da autorização do Banco Central que prorrogou a aplicação das deficiências de recursos das exigibilidades da safra passada para uso nesta safra. Em outras palavras: os agentes financeiros que não conseguiram cumprir a obrigatoriedade de aplicação em crédito rural, em vez de recolherem o restante ao Banco Central, pagando multa sobre esse valor, podem aplicar tais recursos em crédito rural na atual safra.

Portaria de equalização

Merece destaque ainda, na análise do desembolso do crédito rural, o crescimento, em setembro, da liberação de recursos da Poupança Rural com juros controlados para operações de custeio e comercialização. “Até agosto havia sido liberado 1% do valor programado para o atual ano-safra, mas com a publicação da portaria de equalização que autorizou o Banco do Brasil a fazer a operação, foram desembolsados, em setembro, aproximadamente R$ 950 milhões da Poupança Rural para custeio e comercialização. Isso elevou o percentual acumulado para 18%”, afirmou Guimarães.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email