Crédito imobiliário cresce 37,4%

No Amazonas foram utilizados R$ 345,4 milhões em empréstimos para aquisição e construção de imóveis com recursos da poupança no período de janeiro a maio. O montante representa um crescimento de 37,4% na comparação com R$ 251,4 acumulados no igual período do ano passado, segundo dados da Abecip (Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança).
O montante acumulado no ano corresponde ao número de 1.655 concessões de crédito imobiliário para os amazonenses por meio do SBPE (Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo), de acordo com dados regionalizados pela Abecip. O número é 30,6% superior aos 1.266 se comparados ao igual período de janeiro a maio de 2012.
O resultado do mês de maio foi surpreendente com um crescimento de 134,8% quando registrou R$ 72,1 milhões em financiamentos imobiliários comparados com R$ 30,7 milhões apontados em maio do ano passado. “O resultado já era esperado e agora a expectativa para o segundo semestre é de mais aquecimento diante desses percentuais positivos que abrem espaço para uma recuperação das atividades afins do setor”, disse o vice-presidente do Sinduscon-AM, Frank do Carmo.
O resultado obtido no 9º Feirão da Caixa realizado no início de maio, mesmo abaixo da expectativa contribuiu para o bom desempenho do setor, segundo o gerente regional de habitação e construção civil da Caixa, Wellington Lopes. “O resultado foi um reflexo do mercado imobiliário local, que têm apresentado uma, certa, estagnação”, informou.

Cautela prevalece

As vantagens como linhas de financiamento para a casa própria que atendem a todas as faixas de renda familiar, com prazo de pagamento de até 35 anos e taxas de juros a partir de 4,5%, não foram suficientes para convencer os cautelosos clientes a fechar negócio.
De acordo com o economista e agente de investimentos Gabriel Vansolini, o imóvel, como opção de investimento, não está tão bem. “O comprador está receoso de investir um dinheiro que tem que ficar parado por um tempo. Ele não está disposto a comprometer e até prender seu dinheiro”.
Já o B (Banco do Brasil) lançou duas novas opções para aquisição da casa própria com recursos do FGTS: O BB Crédito Imobiliário Aquisição PF FGTS e o Pró-Cotista.
A primeira linha possibilita a contratação de imóveis novos e usados, no valor de até R$ 190 mil, sem necessidade de ter a conta vinculada do FGTS. Já o Pró-Cotista é voltado a clientes que possuem conta ativa no FGTS e um mínimo de 36 contribuições.

Dados nacionais

Em maio o financiamento imobiliário soma R$ 9,75 bilhões e bate recorde com crescimento de 18% em relação a abril e de 54,8% na comparação com o mesmo mês do ano passado. O recorde anterior tinha registrado em dezembro do ano passado, quando os financiamentos totalizaram R$ 8,84 bilhões, apontou a Abecip, que representa o setor no país.
No acumulado nos cinco primeiros meses do ano, os financiamentos imobiliários alcançaram o montante de R$ 38,4 bilhões, volume 29,7% superior ao contratado no mesmo período do ano passado.
Ainda segundo a Abecip, foram financiadas em maio aquisições e construções de 47,6 mil imóveis, crescimento de 17% em relação a abril e de 37% em relação a maio de 2012. Entre janeiro e maio deste ano, foram financiados 191,4 mil imóveis contra 172,5 mil unidades no igual período de do ano passado.
Nos 12 meses compreendidos entre junho de 2012 e maio de 2013, os empréstimos com recursos das cadernetas do SBPE atingiram R$ 91,6 bilhões, 14% mais do que nos 12 meses anteriores. “O período favorável à captação das cadernetas de poupança começou em março do ano passado e agora se reflete no saldo desses depósitos no SBPE, que se avizinha dos R$ 420 bilhões, em junho, com elevação de 18% em relação ao saldo de junho do ano passado”, informou a associação.
Em junho de 2012, os depósitos nas cadernetas de poupança superaram os saques em R$ 6,71 bilhões, o quarto maior desde 1995. Nos primeiros semestre deste ano, a diferença entre depósitos e retiradas foi positiva em R$ 19,97 bilhões, montante 60% superior com R$ 12,5 bilhões observados no mesmo período do ano passado.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email