CPI do Apagão Aéreo da Câmara quer ouvir diretora da Anac

Denise será ouvida na comissão da Câmara hoje à tarde, depois de prestar depoimento na CPI do Apagão Aéreo do Senado. A convocação de Denise Abreu foi motivada por denúncia do ex-presidente da Infraero (Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária) José Carlos Pereira de que ela teria feito pressão para liberar a transferência do setor de cargas dos aeroportos de Congonhas (SP) e Viracopos, que fica em Campinas (SP), para o aeroporto de Riberão Preto, também em São Paulo.
De acordo com a denúncia, com a transferência, o dono da empresa Tead (Terminais Aduaneiros do Brasil), Carlos Ernesto de Camargo teria sido favorecido. Segundo a denúncia, Carlos Camargo é amigo de Denise Abreu, e o negócio entre a Anac e a Tead geraria faturamento de R$ 400 milhões por ano. “É uma oportunidade para que ela dê explicações e apresente suas razões”, disse o relator da CPI, deputado Marco Maia (PT-RS).
Depois de aprovar a convocação de Denise Abreu, a CPI passou por mais um embate entre governo e oposição, o que fez com que a reunião fosse encerrada por falta de quórum.

Deputados da oposição acusaram deputados da base governista de esvaziar a reunião para que requerimentos como a quebra de sigilo de Denise Abreu e a convocação de dirigentes da Infraero e do próprio Carlos Camargo não fossem votados.
“Mais uma vez, cria-se todo um obstáculo para apurar duas coisas: qual o papel da Anac e de seus diretores e as denúncias que foram feitas”, disse o deputado Gustavo Fruet (PSDB-PR).
“Não tivemos nenhum problema em relação a nenhum requerimento. É que a agenda ontem foi a votação da CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira) na Comissão de Constituição e Justiça, uma das prioridades para o governo”, explicou o deputado André Vargas (PT-PR).
Também ontem, a CPI aprovou ainda a criação de uma subcomissão, formada por seis deputados, para analisar projetos na Câmara que tratam da legislação do setor aéreo. A idéia é que a subcomissão junte todas as propostas em um projeto só para facilitar a tramitação na Casa.
Os deputados estão dispostos a pedir a quebra dos sigilos bancário, fiscal e telefônico da diretora para apurar a veracidade da denúncia.
A CPI na Câmara dos Deputados também decidiu apresentar pedido de prorrogação de seus trabalhos por mais trinta dias para concluir as investigações sobre o acidente com o Airbus-A320 da TAM.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email