29 de junho de 2022
Prancheta 2@3x (1)

Coreia do Sul: Transformação Digital e Industrial

Conheça os países líderes em transformação digital, cujas políticas públicas estão gerando emprego, inovação e competitividade para as suas indústrias, com destaque para a exitosa Coreia do Sul.

GovTech, Transformação Digital, Governo Digital, Transição para uma economia de Baixo Carbono (Net Zero), Cidades Inteligentes, 5G, Energia Solar, Sociedade 5.0, Veículos Elétricos, Hidrogênio estão entre os temas prioritários em vários países considerados como os mais competitivos, sustentáveis ou inovadores do planeta. São pautas inseridas em uma Agenda Nacional que acabam permeando e influenciando positivamente a população, a partir do compartilhamento de informações, diálogos, consultas, cooperação e parcerias realizadas em várias esferas, desde governo federal, Bancos, Indústrias, MPEs, ONGs, Universidades até Escolas.

Entre esses temas está a Transformação Digital (TD), acelerada pela pandemia nos últimos dois anos. Ela é considerada uma Agenda prioritária em vários países por conta do grande potencial de gerar emprego, inovação, transparência, eficiência, inclusão, redução de custos e melhores serviços para a população, impactando não apenas o setor público como também o setor industrial e o terceiro setor. Assim, em regiões caracterizadas pela baixa produtividade, disparidades sociais, alta corrupção e baixa confiabilidade com o Judiciário, Legislativo e Executivo, a TD é uma excelente escolha para superar esses problemas.

A TD faz parte da Quarta Revolução Industrial e tem vários conceitos, mas aqui focarei no adotado pelo BID por ser uma das organizações que tem ajudado diversos governos a implementar uma agenda dessa envergadura. Para o BID, TD é a adoção de processos e práticas de negócios para ajudar uma organização a competir efetivamente em um ambiente cada vez mais digital.

No artigo do dia 11/05/22, sobre as nações mais competitivas digitalmente <https://bit.ly/3wsUxHf>, foi apresentada uma lista com as 15 nações mais competitivas e as 15 menos competitivas. E gostaria de complementar com um outro levantamento que envolve governo e indústrias, publicado em 2020 pela BloombergNEF (BNEF), organização <https://about.bnef.com/> com especialistas que publicam  relatórios sobre previsões e sobre como as tecnologias disruptivas estão ajudando os setores de energia, transporte, construção e agricultura a se adaptarem para a transição energética de baixo carbono.

Segundo o relatório da BNEF <https://bit.ly/3LynCq7> os dez países líderes na transformação digital industrial são: 1) Coreia do Sul; 2) Cingapura; 3) Alemanha; 4) Reino Unido; 5) China; 6) Japão; 7) EUA; 8) França; 9) Canadá e 10) Suécia. 

Um artigo foi publicado no JC-AM em 29/09/21 <https://bit.ly/3G7Qapl> sobre “Lições do Governo Nacional Coreano com a 5G” e aqui complemento trazendo mais informações sobre a transformação digital que está ocorrendo naquela região, como consequência de um planejamento de longo prazo, sem descontinuidades bruscas, acontecendo ao longo de vários governos, como parte da Política de Modernização do Estado e do Desenvolvimento Econômico.

Desde os meados dos anos 80 algumas das iniciativas mais evidentes são: Cinco Projetos de Rede de Computação Nacional (início dos anos 80), Plano Compreensivo para Estabelecer  Infraestrutura de Informação, Projeto Nacional de Sistema de Informações Básicas (final dos anos 80), os quais permitiram o Governo Sul Coreano a estabelecer uma rede de comunicação de alta velocidade, bem como armazenar dados dos residentes, dos mobiliários e dos veículos. 

Em seguida desenvolveram a plataforma do e-Governo (anos 1990-2000) que evoluiu de 11 projetos em 2001 para 31 projetos em 2007 <https://bit.ly/3sOkTSS>, entre os quais estão: e-governo local, e-sistema de auditoria, e-assembleia nacional, e-sistema diplomático, sistema tributário virtual, serviços online ao cidadão, serviço de comércio eletrônico, serviço de expansão online da participação do cidadão,  etc.

Depois evoluíram para o Gov3.0 com o Plano Mestre Nacional de Tecnologia da Informação e Comunicação (2008), e mais recentemente com o Korea New Deal, lançado em 14/07/20, com o objetivo de transformar a economia, deixando-a mais verde (Green New Deal=45 trilhões de wons; 903 mil empregos), digital (Digital New Deal=43 trilhões de wons; 659 mil empregos) e com  forte o uso de Redes de Segurança (Stronger Safety Net=27 trilhões de wons; 339 mil empregos). 

Para se ter noção da ousadia do Korea New Deal, aqui <https://bit.ly/3PyC0C4> o leitor tem acesso aos objetivos, aos projetos prioritários, aos investimentos e indicadores esperados, valendo ressaltar que uma das metas é investir 114 trilhões de wons para criar 1,9 milhão de empregos até 2025.

Em cooperação com o gabinete do Presidente e com o setor privado, dez projetos foram priorizados de uma lista de 28 projetos. E em relação ao Digital New Deal, que compreende a transformação digital,  sete projetos (Data Dam+AI Government+Smart Healthcare+Green and Smart Schools+Digital Twins+Make SOC Digital+Smart and Green Industrial Complexes) envolvem: 

a1) a abertura de dados para o público e construção de plataformas Big Data; a2) a promoção da Convergência Industrial das Tecnologias 5G e Inteligência Artificial; a3) o lançamento de um governo inteligente baseado nas tecnologias 5G e Inteligência Artificial; a4) a construção de 18 hospitais inteligentes para fornecer serviços de saúde, digitais para idosos e pessoas vulneráveis; a5) ajuda aos microempresários para participar de conferências e vendas virtuais; a6) a introdução de sistemas de gestão digital para as áreas de transporte, estruturas subterrâneas, gerenciamento da água e resposta aos desastres; a7) construção de cidades inteligentes e complexos industriais inteligentes; a8) construção de centros logísticos inteligentes, incluindo os mais próximos dos portos;

e a9) construção de plataformas online para transações de produtos agrícolas.

Apenas para exemplificar, em termos de resultados industriais, até 2025 eles almejam ter 15 complexos industriais inteligentes, 1750 fábricas limpas, 108 plataformas de gestão de cidades inteligentes, 81 complexos industriais onde a reciclagem entre as empresas seja promovida, 13182 sistemas de redução de poeira fina em pequenos fabricantes.

Como consequência do Korea New Deal, foi elaborado o Plano Mestre de Governo Digital 2021 – 2025, cujo resumo pode ser estudado neste documento <https://bit.ly/3yLlBnY>, o qual apresenta algumas estatísticas do Governo Digital Coreano, a jornada percorrida nos últimos 50 anos, os principais serviços e objetivos do plano.

Finalmente, há mais de 60 anos, a Coreia do Sul era uma terra arrasada, com diversos indicadores inferiores ao do Brasil, porém graças aos planos de longo prazo e forte investimento em Educação, em C&T&I, a Transformação Digital se tornou realidade, gerando eficiência governamental, transparência, empregos, melhores serviços, inovação e prosperidade para aquela nação, ações que fazem muita falta no Brasil.

Prof. do Dep. de Eng. de Produção da UFAM e Pós Doutor em Inovação pela Universidade de Manchester. Site www.jgsilva.org 

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Anúncio

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email