7 de maio de 2021

CooperSol inaugura usina solar

Foi inaugurada oficialmente na manhã de domingo (11), na av. Torquato Tapajós, s/nº, estrada AM-010, km 24, Lagoa Azul, com a presença dos cooperados, a primeira usina de energia renovável do Estado administrada pela CooperSol (Cooperativa de Energia Renovável do Amazonas).

A cooperativa começou a ser constituída ainda em julho do ano passado com o objetivo de produzir a própria energia solar para os cooperados. Essa energia já está sendo distribuída na forma de créditos em kWh (quilowatt-hora) nas suas contas de energia desde o dia 1º de abril.

O projeto da usina foi elaborado pela empresa Expertise Energia Solar, que atua no mercado de geração de energia distribuída desde 2016, é líder no segmento de energia solar no Amazonas e já tem mais 3MW (dez mil painéis fotovoltaicos) instalados, além de possuir o maior portfólio de usinas e geradores da região.

“Qualquer pessoa, física ou jurídica, pode aderir à CooperSol, adquirir no mínimo 12 placas de energia solar, e passar a auferir os ganhos com os créditos em kWh distribuídos pela usina, porém, nesta primeira fase, todas as 2.880 placas de energia solar já foram comercializadas. Para se ter ideia de como o investimento é interessante, as últimas 400 placas foram vendidas em apenas duas horas após anunciarmos nas redes sociais”, contou Teófilo Gomes, presidente do Sindicato do Comércio Varejista e membro do Conselho Fiscal da CooperSol.

A primeira diretoria administrativa eleita pelos sócios fundadores da CooperSol, para mandato de quatro anos, é formada por José Merched Chaar (diretor-presidente), Cláudio Kuenca (diretor-técnico) e Jesus Pinheiro (diretor-secretário).

As vantagens de cooperar

“Nós, da CooperSol, acreditamos que o caminho aberto com a produção de energia limpa faz parte do desenvolvimento sustentável no qual o cooperativismo é o modelo de negócio ideal, já que as cooperativas são sociedades de pessoas, regidas por valores e princípios fundamentais que vão além do econômico, dando o devido lugar ao social”, falou José Merched, também diretor-executivo da OCB-AM (Organização das Cooperativas Brasileiras), do Amazonas.

Fazer parte da CooperSol é mais interessante para quem mora em apartamentos, ou mantém algum tipo de empreendimento em imóvel alugado, como o empreendedor Edson Silva. Ele adquiriu 50 placas e se disse satisfeito com o investimento, que considera de longo prazo, mas totalmente seguro.

“Moro em apartamento, e não teria como ter as placas de energia sobre minha residência, sem falar que, dessa forma, não preciso me preocupar com a manutenção delas. Isso fica a cargo da usina. Mesmo que mude de endereço, continuo a receber os créditos na minha conta de energia. Tinha um dinheiro guardado, que estava parado, sem render praticamente nada, então resolvi investir adquirindo as placas. É um investimento para se ter retorno daqui a alguns anos, mas é um retorno certo, ainda que seja para meu filho”, disse.

Os custos de manutenção e a vida útil dos equipamentos da usina (25 anos, em média) conferem ao investimento um retorno do capital investido entre seis a oito anos, em média, mas nesse tempo, a energia produzida por ela, diferente da energia elétrica e hidráulica convencional, não terá sofrido reajuste algum em seus valores.

O que é uma cooperativa?        

Desde 2012, qualquer pessoa no Brasil pode gerar a própria eletricidade a partir de fontes renováveis e reduzir a conta de luz. A maneira mais simples é com a instalação de um sistema solar fotovoltaico diretamente sobre o telhado, conectado à rede elétrica pública. O telhado solar gera energia para o consumo da residência e qualquer excedente que não for consumido instantaneamente é injetado na rede elétrica, acumulando um crédito de energia na conta de luz. A rede elétrica pública funciona como uma gigantesca bateria para a casa. A partir de 2016 a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) passou a permitir outras modalidades na geração distribuída: em condomínios, consórcios e cooperativas.

Um grupo de ao menos 20 pessoas pode constituir uma cooperativa para produzir a própria energia, que será distribuída na forma de créditos em kWh na conta de luz entre os cooperados, em percentuais previamente aprovados por todos. Uma cooperativa é uma associação de pessoas voluntariamente reunidas para buscar satisfazer as suas necessidades e aspirações econômicas, sociais e culturais comuns. Todos os interessados em utilizar os serviços prestados por uma cooperativa podem se associar, desde que estejam de acordo com as regras e preencham as condições preestabelecidas no estatuto para admissão. O cooperativismo é muito mais que um modelo de negócio, é um movimento que promove o desenvolvimento sustentável, como foco no coletivo, colaborando assim para um mundo mais justo e equilibrado.

Foto/Destaque: Divulgação

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email