16 de abril de 2021

Cooperativa de seringueiros cobra repasse de kits

Conhecidos popularmente como seringueiros, os “soldados da borracha” são figuras históricas da nossa região

Conhecidos popularmente como seringueiros, os “soldados da borracha” são figuras históricas da nossa região. Atualmente, de acordo com a CVP (Cooperativa Mista dos Seringueiros da Calha do Rio Purus), existem no Amazonas cerca de 4 mil seringueiros, que cobram do governo do Estado promessas feitas em 2009, que haveria uma doação de 7 mil kits para seringueiros, além da subvenção da safra de 2010. “Essas são algumas das dificuldades da nossa categoria”, salientou Adriano Frota, presidente da CVP.
Ele conta que do prometido, o governo apenas encaminhou mil kits. “Hoje se um seringueiro precisar dos seus instrumentos de trabalho ele tem que desembolsar R$ 400”, afirma Frota. Além disso, o representante ainda cobra o pagamento da safra de 2010, que foi de 750 toneladas de borracha, que representa R$ 750 mil. “Valor que foi parcelado em duas vezes, mas até agora não foi pago a nós, e esse subsídio é lei, nós temos esse direito”, informa. A previsão para este ano é que a safra chegue a 1200 toneladas.
Frota destaca que a intenção da CVP não é ‘comprar briga’ com o governo, mas sim, cobrar o que foi prometido. “Nossa profissão é totalmente ecológica, somos os soldados do meio ambiente, cuidamos da natureza e esperamos que o governador nos ajude”, disse o presidente da cooperativa.
Segundo a gerente de floresta da Sepror (Secretaria de Estado da Produção Rural), Marilane Irmão, nunca houve nenhuma promessa por parte da secretaria com relação aos kits. “Durante a reunião, em 2009, apenas levantamentos a demanda da necessidade de 3 mil kits para os seringueiros”, frisou. Ela ainda informa que a Sepror planeja a compra de mais 2 mil para a safra de 2012.

Pagamento está próximo

Já com relação ao pagamento da subvensão, o chefe do departamento de produtos florestais da ADS (Agência de Desenvolvimento Sustentável do Amazonas), Willis Vieira, conta que será pago no próximo dia 15. “Não fizemos no ano passado, devido ter sido ano eleitoral, mas no momento em que foi aberto o orçamento foram feitos os convênios para o repasse do dinheiro para as 17 associações, de 15 municípios, totalizando 1250 seringueiros”, esclarece.
Vieira afirma que o governo tem realizado muitas ações para desenvolver a atividade, entre elas, a do crédito para capital de giro com valor referente a 1/3 da safra, a de incentivo a produção, apoio para a abertura de estradas e os de ranchos para os seringueiros. “Além disso, no último mês o governo elevou o valor do quilo de BNB (Borracha Natural Bruta), que custava R$ 0,70, para R$ 1, favorecendo o aumento de renda dos seringueiros”, comentou.
Ele destaca que para o melhor aproveitamento e agregação de valor à borracha do Amazonas, a ADS negociou a atração de investimentos da empresa produtora de pneumáticos do Grupo LEVORIN, na AM-010, Km23, que está com inauguração prevista para ainda este ano. “E ainda estamos preparando outros projetos para este ano”, conclui o chefe do departamento de produtos florestais da ADS.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email