Cooperativa busca fortalecer agronegócio no Amazonas

O Amazonas possui uma lista de 120 cooperativas, presentes em 39 municípios e representando 40 mil pessoas, segundo o Sindicato e OCB-AM (Organização das Cooperativas do Estado do Amazonas). Entre elas, a Coomam (Cooperativa Agroindustrial Mista do Médio Amazonas) há exatos 20 anos, vem apostando nesse modelo socioeconômico na região.
Fundada em 1996 por um grupo de pequenos empresários e agricultores da agroindústria local, a cooperativa tem a proposta de alavancar o agronegócio no médio e baixo amazonas através do manejo sustentável no plano de extrativismo controlado, diz o diretor-presidente da Coomam, Patrick Strenbuck.
Para Strenbuck, a necessidade de implantação da agroindústria de meio porte na região, se forma de uma carência do aproveitamento integral da matéria regional. “Ainda são utilizados metodologia que embora tradicionais, tem se transformado em ações obsoletas que não tem acompanhado o desenvolvimento da agroindústria no Brasil. Esta metodologia arcaica não tem a menor chance de tornar viável nossa agricultura”, afirma.
A Coomam investe em frutíferas como cupuaçu, camucamu, tamarindo, tucumã, jenipapo, graviola, maracujá, biribá e castanha do brasil. Outro nicho de atuação são os óleos vegetais como andiroba, copaíba, castanha. Hoje a cooperativa também aposta na agricultura e melhoramento dos cultivos da mandioca.
Segundo o diretor-presidente, a Coomam viabiliza a participação de produtores rurais em diversas feiras de produtores naturais organizadas pelo governo do Estado do Amazonas, como a ADS (Agência de Desenvolvimento Sustentável do Amazonas). “A falta de ONGs locais contribuiu para que a cooperativa desde seus primórdios abraçasse a causa com uma ação sustentável e solidária”, disse Strenbuck.
A cooperativa também aposta no ecoturismo com as tracionais pescarias de Tucunaré. Opção é vista como válida, dada as condições de beleza naturais do Amazonas. Atualmente, a cooperativa conta com mais de 60 cooperados.

Capacitação
A Coomam tem se tornado uma entidade de ensino e capacitação através de inúmeros cursos de qualificação oferecidos em parceria com o governo federal e estadual. Na área social a cooperativa tem se engajado à população ribeirinha de municípios como Silves, Itapiranga, São Sebastiao do Uatumã e Uricará com diversos programas de qualificação: informática básica, recursos de pesquisa, agroindústria do cupuaçu. Além de ter organizado festivais folclóricos como a Festa do Tucunaré em São Sebastião do Uatumã.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email