Contratação de temporários deve crescer na indústria

É muito provável que o comércio, tido como o grande detentor das contratações temporárias nas datas sazonais, perca a força por ter menos pessoas visitando as lojas e pelo uso do comércio eletrônico, em decorrência do novo coronavírus. Na contramão, a indústria, que está repondo seus quadros de funcionários para conseguir suprir a demanda do mercado, deve ser a grande responsável pelas modalidade de admissão do último quadrimestre do ano. 

As contratações devem crescer 12% entre julho e dezembro de 2020 em comparação ao mesmo período do ano passado, quem prevê é a Asserttem (Associação Brasileira do Trabalho Temporário). Outro dado animador é que neste período, poderão ser geradas mais de 900 mil vagas temporárias, frente às 800 mil de 2019.

Segundo o presidente da Asserttem, Marcos de Abreu, o período de pandemia criou uma situação de insegurança e emergência nas empresas e o Trabalho Temporário é a melhor modalidade de contratação para este cenário, já que pode ser utilizada como solução por diversos setores e qualquer nível de ocupação, o que favorece o crescimento.

Amazonas na mesma direção 

O Amazonas deva seguir essa tendência, conforme explica o diretor de negócios da ABRH-AM, Francisco Assis. “Existe um movimento para contratação de mão de obra temporária para atividades que não sejam o core Business das organizações. Com a flexibilização da legislação trabalhista para contratação de mão de obra poderemos ter maior demanda de empregos visto que essa modalidade de contrato desonera a folha de pagamento”.

Em conformidade, a gerente de RH de uma indústria na capital, Luanna Cunha, confirma que o volume de contratações na empresa está bem aquecido, inclusive fez novas aquisições em regime temporário que não é comum para o modelo de empresa em virtude da alta demanda do mercado. 

“O que eu tenho percebido no meu segmento que trabalha com embalagens para alimentos, o consumo em virtude da permanência das pessoas em casa tem aumentando significativamente. O segundo semestre já é por tendência de alta temporada para este segmento contudo, este ano está atípico, além do período das contratações  na modalidade no verão,  a gente está tendo uma tendência de mercado com  um consumo maior quando a gente fala de alimentos”.

Ao conversar com RHs de outras empresas, Luanna diz que tem percebido que o auxílio emergencial está dando às pessoas um poder aquisitivo maior de compra, até quem antes não tinha renda está usando e tendo a possibilidade de fazer compras através de e-commerce com delivery, frete grátis, as alternativas de compra e entrega através de site, realmente tem proporcionado o aumento da compra e consequentemente, o aumento do processo produtivo. “Então me parece que é uma tendência de outros segmentos também”. 

No entendimento do presidente da Asserttem, com a pandemia e constante transformação, em que as empresas estão se reinventando e buscando alternativas formais de contratar trabalhadores, preservando os direitos, mas com oxigênio suficiente para acompanhar a oscilação da economia, o Trabalho Temporário se mostra como o regime mais rápido, eficaz e seguro tanto para as empresas quanto para os trabalhadores. “Para as empresas o trabalho temporário confere maior flexibilidade de gestão enquanto os trabalhadores têm seus direitos respeitados, podem adquirir mais conhecimentos e ter novas experiências no mercado de trabalho, o que potencializa sua recolocação em uma eventual vaga permanente”, completou Abreu.

Para ele, a modalidade deve ser vista como oportunidade para que as empresas consigam atender suas demandas urgentes e emergenciais e para ganharem fôlego durante a retomada, até conseguirem efetivar os trabalhadores novamente.

“Entre janeiro e junho de 2020 tivemos mais de 1 milhão de contratações temporárias, somadas ao bom desempenho que esperamos para o 2º semestre, devemos alcançar a marca de 1,9 milhão de trabalhadores temporários contratados neste ano, um aumento de cerca de 28% em relação a 2019”, conclui.

Saiba mais

A regulamentação do trabalho temporário, ocorrida há 10 meses com a publicação do Decreto 10.060/2019, também estimula e contribui para as contratações na modalidade. “Com o novo decreto, as empresas que desconheciam a forma de contratação têm uma maior compreensão da modalidade com segurança jurídica e econômica”, reforça o presidente da Asserttem.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Anúncio

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email