Consumo de gás veicular atinge seu melhor desempenho no Amazonas

Com o preço salgado da gasolina, motoristas demonstram estar mesmo optando por veículos movidos a gás natural no Amazonas. Até o etanol, que antes atraía por ser mais barato e vantajoso, agora está sendo relegado a segundo plano, revelam empresas do setor.

O último balanço da Cigás (Companhia de Gás do Amazonas) aponta que o consumo de GNV (Gás Natural Veicular) registrou, em maio de 2021, o seu melhor desempenho mensal nos últimos cinco anos, atingindo um volume demandado de 15,6 mil metros cúbicos por dia na região. O incremento foi de 6% em relação a abril, o mês anterior.

Desde o início do ano, o setor de gás veicular vem mantendo um ritmo de crescimento, provavelmente motivado pelo constante aumento da gasolina que acompanha a cotação do dólar no mercado internacional.

Até dezembro, estima-se que o litro da gasolina chegue a R$ 7,50 em Manaus caso se mantenha essa tendência de alta com base na oscilação da moeda norte-americana.

No acumulado do ano (de janeiro a maio), a média de volume utilizado pelo segmento de gás veicular foi de 12,1 mil metros cúbicos por dia, representando uma variação positiva de 10,5%, em comparação com o mesmo período do ano passado no Amazonas, de acordo com os números da Cigás.

“Este ano, o segmento veicular vem registrando crescimento. E o desempenho deve-se, principalmente, à economia proporcionada pelo combustível aos seus consumidores”, avalia o diretor-presidente da Cigás, René Levy Aguiar.

E as últimas estatísticas da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) também corroboram para esse bom desempenho no setor, segundo René Levy. “O uso de GNV representa uma economia de até 33% em relação à gasolina. E de até 44% frente ao etanol no mercado local”, acrescenta o executivo da concessionária no Estado.

O diretor-técnico comercial da empresa, Clóvis Miranda, disse que a empresa está firmando novas parcerias com postos de combustíveis para ampliar a oferta do produto no mercado local.

“Dois novos postos vão começar a operar com gás veicular a partir do segundo semestre em Manaus”, anunciou Clóvis Miranda. Segundo ele, a companhia está adotando também ações para incentivar o aumento da frota de veículos convertidos a GNV na região. “Esperamos conseguir essa meta brevemente”, afirmou o executivo.

Indústria

O setor industrial do Amazonas também aumentou o consumo de gás naturas nos cinco primeiros meses do ano. De acordo com a Cigás, mais de 50 empresas do PIM (Polo Industrial de Manaus) consumiram um volume 36,6% superior ao registrado no mesmo período em 2020. Enquanto isso, o segmento residencial continua em plena expansão, registrando um crescimento de 168%, nos comparativos dos cinco primeiros meses de 2021 com os do ano anterior. No caso do comercial, o incremento foi de 21%.

A Cigás também fornece GN para termelétricas, propiciando a geração de energia elétrica para a capital e os municípios de Anamã, Anori, Caapiranga, Coari e Codajás. De janeiro a maio, a média de volume comercializado para o segmento termelétrico atingiu 4,713 milhões de m³/dia.  O consumo em todos os setores atendidos pela Companhia foi de 4,877 milhões de m³/dia.

 A Companhia está executando um amplo pacote de obras com previsão de conclusão em 2025, por meio do qual espera-se beneficiar 21 mil unidades consumidoras. Até lá, a Cigás estima investimento de R$ 786 milhões entre os já realizados e os que ainda serão executados no Estado.

FOTO/DESTAQUE: Divulgação/Cigás

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email