Consumidor manifesta otimismo cauteloso

. Quanto à situação financeira familiar, 60,2% afirmam que não mudou em relação ao mês anterior. Para 35% a situação está melhor e para 4,8%, um pouco pior.
A informação consta na pesquisa de Intenção de Compra e Confiança do Consumidor para julho, em Manaus, divulgada ontem pelo IFPEAM (Instituto Fecomercio de Pesquisas Empresariais do Amazonas). O objetivo é identificar o sentimento dos consumidores, levando em consideração suas condições econômicas atuais e expectativas quanto à situação futura da economia local. O levantamento foi realizado no mês passado e aplicado por zonas e bairros junto à 400 consumidores.
Em relação à expectativa econômica do consumidor, 56,8% avaliam que a economia do Amazonas para os próximos seis meses estará um pouco ou muito melhor, 40,5% apostam em um cenário sem mudanças e 2,7% vêem um panorama pior. Ainda em relação à situação financeira familiar, 53% afirmam que a situação financeira permanece igual a de seis meses atrás. Para 43,8% a situação financeira da família melhorou, enquanto que para apenas 3,2% a situação piorou.
Na análise do desempenho, a percepção tanto da situação econômica amazonense atual, quanto à situação econômica familiar, vem melhorando quando comparada ao mesmo período do ano passado.
No entanto, pondera o instituto, as oscilações ocorridas nos últimos meses e a situação quanto à empregabilidade, têm influenciado diretamente nos hábitos de consumo das famílias, pois o consumidor se apresenta cauteloso quanto à aquisição tanto de bens duráveis, quanto semiduráveis.
Na avaliação do assessor econômico da Fecomercio/AM (Federação do Comércio do Estado do Amazonas), José Fernando Pereira da Silva, os números de julho refletem a confiança do consumidor amazonense na política econômica implementada e consolidada pelos governos federal e estadual.

Mercado de trabalho

Quanto à empregabilidade, o índice deste mês revelou que para 31,8% dos entrevistados está um pouco ou muito mais difícil colocar-se ou recolocar-se no mercado de trabalho. O mesmo ocorre para daqui a três meses, pois 27,8% avaliam que conseguir um novo emprego continuará difícil. “As pessoas estão preocupadas, pois sabem da importância de se prepararem para o mercado de trabalho que está cada vez mais exigente. A inflação é outra preocupação que consta na vida dos amazonenses”, assinalou o economista.
A pesquisa aponta ainda que, apesar da expansão de shoppings, 64,3% dos consumidores ainda preferem comprar no Centro, levando em consideração principalmente preços, promoções, e variedades de produtos e lojas. Já os consumidores que procuram os shoppings, levam em consideração climatização, segurança e estacionamento.
Um dado que se manteve estável, quando comparado com as pesquisa anteriores foi à questão dos preços. Dos entrevistados, 57,5% consideram que estão um pouco ou muito mais altos.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email