Construção civil local poderá sofrer com carência de mão-de-obra

https://www.jcam.com.br/econo4_cad1_0312.jpg
Neste ano, a construção civil passou por um expressivo crescimento sendo que o número de lançamentos imobiliários triplicou, em relação a 2006

O atual “boom” no mercado da construção civil em Manaus, que ocasionou um aumento em cerca de 10% na mão-de-obra nesse setor, pode fazer o segmento sofrer uma carência de mão-de-obra já no próximo ano, caso a taxa de elevação em investimento imobiliário continue elevada.

O presidente do Sinduscon (Sindicato da Indústria da Construção Civil), Joaquim Auzier, disse que a oferta de trabalhos nessa área está próxima do limite e teme que as indústrias do segmento sofram com a falta de empregados no Estado. “Atualmente não estamos tendo esse problema, mas caso o nosso crescimento se mantenha não haverá trabalhadores em Manaus e teremos que trazer de outros Estados, o que aumentará os nossos gastos”, informou.

Neste ano, a construção civil passou por um expressivo crescimento sendo que o número de lançamentos imobiliários triplicou, em relação a 2006.

“No atual exercício tivemos cerca de 50 lançamentos imobiliários, tanto em construção vertical, quanto horizontal, sendo que a maior parte desses empreendimentos são apartamentos”, informou o representante dos construtores do Estado.

Devido ao aumento no número de lançamentos imobiliários, o Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas está pleiteando uma parceria com o governo estadual para oferecer cursos técnicos de qualificação profissional nessa área.

A iniciativa visa preparar pessoas com pouca qualificação profissional para um mercado em plena expansão no Amazonas.

O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas, Valdemir Santana, se dispôs a se reunir com representantes da Setrab (Secretaria de Estado do Trabalho) para firmar uma parceria no objetivo de promover cursos de qualificação profissional no ramo da construção civil do Amazonas.

Hora é para treinamento

Valdemir Santana disse que esse mercado está absorvendo muita gente e é uma boa oportunidade para treinar os trabalhadores que têm baixo nível de escolaridade. “Manaus precisa ter mais oferta de cursos nessa área para melhor servir as empresas do setor”, disse.

O sindicalista também destacou a necessidade da realização de cursos profissionais no ramo da construção civil para elevar o nível das obras.“Muita gente dessa área, principalmente os pedreiros, são pessoas com pouca qualificação, então eles precisam de cursos de aperfeiçoamento”, frisou Santana.

Mercado crescente

O setor da construção civil tem apresentado crescimento de Norte a Sul do país; em nível nacional foram geradas mais de 112 mil vagas de empregos no mercado de obras. Segundo uma pesquisa da FGV (Fundação Getúlio Vargas), encomendada pela Sinduscon-SP (Sindicato da Indústria da Construção Civil de São Paulo) houve uma média de 6,4% de crescimento no número de empregos com carteiras assinadas no primeiro quadrimestre deste ano, em relação a 2006.

Considerado apenas o númro de trabalhos formais a elevação atingiu a 5% no período em análise.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email