Construção civil eleva nível de atividade

O ritmo de trabalho da construção civil é crescente. O nível de atividade do setor, que era de 53,8 pontos em junho, subiu para 54,9, em julho, de acordo com dados divulgados ontem pela CNI (Confederação Nacional da Indústria).
Segundo o presidente da Sinduscon/AM (Sindicato da Indústria da Construção Civil do Amazonas), Eduardo Lopes, o aquecimento do mercado no Amazonas tem sido constante. Ele acrescenta que, ao longo desta semana, mais três empreendimentos serão inaugurados em Manaus, correspondendo a pelo menos 700 unidades residenciais.
“O resultado mostra o quão pungente está o mercado no Estado. Afinal, nunca tivemos uma entrega de tantos empreendimentos em tão curto espaço de tempo”, justificou o dirigente. Lopes prevê um aumento de 10% no nível de atividade do setor até dezembro de 2010.
De acordo com os dados da CNI, o setor que mais apresentou crescimento foi o de construção de edifícios, situando-se em 54,7 pontos. Seguindo a tendência nacional, as empresas da capital amazonense também apresentam bons índices no setor.
O diretor-comercial da Cristal Engenharia, Jorge Roldão, afirma que a empresa sentiu um aumento no potencial do mercado. Nos próximos meses serão lançados residenciais no bairro Adrianópolis, na Ponta Negra e no dia 18 de setembro o Fórmula 1 da Rede Accor, na Djalma Batista.
“O aumento do mercado, sobretudo o aumento da oferta do crédito imobiliário do país, tem oxigenado um impulso no Estado. Há também, é claro, a realização da Copa do Mundo em 2014”, enfatizou.

Médias empresas

Avaliadas em porte, as médias empresas foram as únicas que apresentaram percentual inferior ao apresentado no mês anterior, com 54,8 contra 55,3, conforme o levantamento da CNI. Entretanto, mantiveram-se acima do limite de 50 pontos.
Todos os setores analisados (construção de edifícios, obras de infraestrutura e serviços especializados) apresentaram expansão, com destaque para o de edifícios, que se manteve com 54,7 pontos. No mês anterior, a evolução era de 51,2 pontos.
A expectativa com relação aos próximos meses continua otimista, mas em níveis abaixos dos observados em junho. Quanto ao nível de atividade, o indicador marcou 63,7 pontos para o mês de agosto, enquanto a previsão para o mês de julho era de 65,2. Já os novos empreendimentos e serviços marcam 64,4 contra 66,0. As compras de matérias-primas apresentam o menor índice, 63,1 pontos, porém ainda possuem resultado positivo.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email