Congresso discute acessibilidade aos portadores de necessidades especiais

A adaptação da estrutura do setor turístico às necessidades das pessoas com deficiências será o foco dos debates do I Congresso de Turismo Muito Especial de Pernambuco, que ocorre entre os dias 10 e 12 de setembro, no Recife Palace. Para quem se interessa em discutir demanda, mercado, planejamento e oportunidades de acessibilidade no turismo, as inscrições já estão abertas.
O evento, que é uma realização do Instituto Muito Especial, com o apoio do Ministério do Turismo, pretende reunir cerca de 500 pessoas no ciclo de palestras com representantes do Recife Convention Bureau, Abih (Associação Brasileira da Indústria Hoteleira), Abav (Associação Brasileira dos Agentes de Viagens), Infraero (Empresa Brasileira de Infra-estrutura Aeroportuária) e da Brasiliatur (Empresa Brasiliense de Turismo).
Entre os temas a serem discutidos estão o “Mercado de trabalho no turismo e o sistema de cotas”, “A Acessibilidade no Turismo”, “Roteiros turísticos” e “Como lidar com pessoas com deficiência”. O objetivo é a sensibilização pública através da apresentação de casos de sucesso para o trade turístico, empresários, gestores públicos, organizações não governamentais, profissionais da área e acadêmicos.
De acordo com levantamentos do IBGE, no Censo 2000, aproximadamente 27 milhões de brasileiros, ou 14,5% da população, têm necessidades especiais, seja de mobilidade, deficiência auditiva ou visual. Estima-se ainda que acidentes de veículos e a violência com armas de fogo também sejam responsáveis, mensalmente, por deixar outras dez mil pessoas com alguma deficiência e, pelo menos 20% são da classe A. De acordo com a presidência do Instituto Muito Especial, a proposta de turismo especial não envolve apenas pessoas com deficiência, mas também idosos e até mesmo gestantes ou mulheres com crianças pequenas.
Na Região Metropolitana do Recife, segundo dados da Abih-PE, 70,45% dos hotéis realizaram obras para garantir acessibilidade mínima para hóspedes especiais, já que grande parte deles foi construída na década de 1990, antes da vigência das atuais normas de acessibilidade. Cerca de 2,09% dos funcionários de 3.400 hotéis pesquisados têm alguma deficiência.
As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo telefone (81) 3366-9657.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email