É triste recordar que num segundo turno tivemos o duelo entre Dilma e Aécio; ou melhor: vergonhoso. Assim, nunca tivemos em quem confiar, até porque ambos foram “farinhas do mesmo saco”; encontrando-se hoje no ostracismo do submundo da política. Mas o povo brasileiro confia e aposta no sucesso do governo federal fulcrado em vários segmentos de nossa economia.

No cenário imobiliário deparamos novamente com informes otimistas em face do crescimento expressivo do volume de financiamento de imóveis até então ocorrido. Conforme a ABECIP “houve recorde com um volume de 113% superior ao de janeiro a março de 2020”. Como é esperado um aumento no PIB acima de 3% os “experts” do mercado imobiliário preveêm que o financiamento da casa própria crescerá cerca de 34% e, assim, “o volume em financiamento poderá superar R$ 170 bilhões”. As famílias podem  estar um pouco endividadas, mas o período mais difícil já fora ultrapassado  e as “dívidas em atraso” cairam em abril, conforme estudo da CNC, para quem o impacto da pandemia diminuira. Daí admitem que os financiamentos imobiliários, tanto para imóveis novos como usados, crescerá rapidamente.

No mesmo sentido, a confiança do empresariado medida pelo índice (ICEI) aumentara 4,8 pontos em maio, em comparação com abril, conforme  a CNI; para quem “esse crescimento revertera parte da queda ocorrida entre janeiro e abril deste ano”; evidentemente em razão do maléfico “LOCKDOWN”. O empresário sempre conhecedor de seu negócio e ciente de seu potencial nunca deixara de acreditar no mercado, sua recuperação e fortalecimento. Assim, não seria difícil aguardar por uma pequena alta do PIB de apenas 3,2 % para 3,8% no ano em curso devido à diminuição da intensidade da pandemia. Por isso, as corretoras; bancos de investimentos e demais “experts” revisaram para cima o desempenho do PIB no ano em curso.

E, para comemorar o sucesso da política de crescimento da Nação, a PETROBRÁS, altamente deficitária no governo petista, fechara o primeiro trimestre deste ano com lucro de R$ 1,16 bilhões. Também colaborara para esse resultado o “aumento da venda de óleo diesel usado no transporte dos produtos agrícolas”. Por isso, sua participação em ambos os segmentos (gasolina e diesel) crescera em 73% no primeiro trimestre. Esse é o governo que produz.

Manaus/AM, 18 de Maio de 2021.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email