Confiança do consumidor sobe um ponto em maio

A Pesquisa da ACSP-Ipsos (Associação Comercial de São Paulo) mostra que apesar da crise internacional, o consumidor ainda permanece confiante em relação ao futuro.
O Índice Nacional de Confiança ACSP/Ipsos de maio deste ano registrou 120 pontos na média de todas as regiões, contra 119 em abril (2009), e 138 pontos em maio de 2008. Por regiões: nordeste e sul são as menos otimistas com 101 pontos. A mais otimista é a sudeste, com 137 pontos, seguida das regiões norte/centro-oeste com 128 pontos.
Por classes sociais: as classes A/B registraram em maio 110 pontos, a classe C; 125 e as classes D/E 119 pontos. Portanto, nota-se que a classe C é a mais otimista, enquanto as classes A/B, por serem as mais bem informadas, são as menos otimistas.

Manutenção do emprego

Em maio de 2009 os consumidores menos confiantes na manutenção do emprego caíram de 38% dos pesquisados em abril, para 35% em maio, enquanto os mais confiantes subiram de 27% em abril, para 30%, em maio passado.
O número de pessoas conhecidas dos entrevistados que perdeu o emprego subiu de 4,2 pessoas em abril, para 4,4 pessoas em maio. Apesar desses resultados, o consumidor começa a recuperar a confiança no futuro do emprego, embora ainda esteja cauteloso.
A pesquisa mostra que em abril 42% dos entrevistados eram menos favoráveis para compra de eletrodomésticos, mas essa porcentagem caiu para 39% em maio.
E os mais favoráveis subiram de 34% em abril para 35% em maio. Apesar do predomínio dos “menos à vontade”, os números sugerem um tendência de maior equilíbrio entre os dois grupos.
O valor médio da prestação que havia atingido R$ 76,00 em março e caído para R$ 58,00 em abril recuperou-se parcialmente em maio, atingindo R$ 68,00 – ligeiramente inferior aos R$ 70,00 de maio de 2008.
Apesar de tudo, a confiança do consumidor brasileiro no futuro da economia da sua região em maio ficou em 36% entrevistados achando que ela vai ficar mais forte, contra apenas 14% que ela vai ficar mais fraca. Em relação à sua situação financeira pessoal 54% em maio acham que ela vai melhorar, contra apenas 10% que vai piorar.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email