19 de abril de 2021

Confiança da indústria cai 0,7% e volta ao nível de abril

O ICI (Índice de Confiança da Indústria) apresentou redução de 0,7% entre maio e junho, ao passar de 116,1 para 115,3 pontos, considerando-se dados com ajuste sazonal.

O ICI (Índice de Confiança da Indústria) apresentou redução de 0,7% entre maio e junho, ao passar de 116,1 para 115,3 pontos, considerando-se dados com ajuste sazonal.
Com a queda, o ICI de junho retornou ao nível de abril deste ano, e está próximo ao de junho de 2008 (115,4 pontos), período em que a indústria brasileira ainda não havia sido afetada pela crise internacional.
O dados foram divulgados hoje pela FGV (Fundação Getulio Vargas), que destaca, no entanto, que apesar da redução em relação ao mês anterior, o índice mantém-se em patamar elevado, sinalizando sustentação do ritmo de atividade industrial.
O ISA (Índice da Situação Atual) ficou praticamente estável entre maio e junho, ao passar de 119,2 para 119,3 pontos.
Com o resultado, a média de 119,5 pontos do segundo trimestre de 2010 é a mais alta desde o segundo trimestre de 2008, quando a média ficou nos mesmos 119,5 pontos.
A maior média trimestral do ISA foi registrada no quarto trimestre de 2007, com 120,3 pontos.
Já o IE (Índice de Expectativas) recuou 1,5%, de 113,0 para 111,3 pontos, entre maio e junho. A média deste índice no segundo trimestre de 2010 ficou em 111,6 pontos, idêntica à registrada no último trimestre do ano passado e inferior aos 116,2 pontos (recorde histórico) do primeiro trimestre deste ano.
Dos componentes do ICI relacionados ao momento presente, destaca-se em junho a evolução do indicador de nível atual de estoques: entre maio e junho, a parcela de empresas que apontam estar com estoques insuficientes aumentou de 6,1% para 6,2%; a proporção das que indicam estar com estoques excessivos diminuiu de 5,6% para 3,2%.
As expectativas empresariais em relação ao ambiente dos negócios nos seis meses seguintes tornaram-se menos otimistas: das 1.187 empresas consultadas, 54,8% esperam melhora da situação dos negócios no semestre junho-novembro e 2%, piora.
Em maio, estes percentuais haviam sido de 64,5% e 4,2%, respectivamente.
O Nuci (nível de utilização da capacidade instalada da indústria) aumentou de 84,9% para 85,5% entre maio e junho de 2010.
Este é o nível mais elevado desde agosto de 2008 (86,1%), sendo superior à média do biênio 2007-2008 (85,1%), mas ainda inferior à média dos 12 meses anteriores à crise de setembro de 2008 (85,9%).

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email