25 de fevereiro de 2021

Conectividade é a urgência do momento

Se a pandemia mostrou uma necessidade clara, foi a da conectividade. Para trabalhar, estudar ou mesmo para um momento de lazer em casa, cada vez mais se viu a grande necessidade de um acesso à internet robusto, capaz de aguentar a conexão de múltiplos equipamentos, e velocidade suficiente para aplicações mais pesadas, como um streaming de vídeo 4K ou uma reunião virtual.

Não coincidentemente, uma das grandes promessas do 5G é a qualidade da conexão à internet (segundo algumas operadoras, ela pode chegar a 2 Gbps no Brasil), tanto na sua robustez quanto na velocidade. E já se pode comprovar essa promessa com a chegada dos novos celulares com 5G a países onde essa tecnologia já está disponível nas operadoras que lá funcionam. Os resultados são positivos, mostrando que essa nova tecnologia já é bastante capaz e ainda evoluirá, melhorando ainda mais nossas conexões, sendo o tal do novo patamar.

E vários setores serão beneficiados. De acordo com estimativas do IDC, o impulso dado pelo 5G a tecnologias associadas, como robótica, segurança da informação, nuvem pública, internet das coisas (IoT), Big Data, Analytics, realidade aumentada e virtual e inteligência artificial, atingirá, só no Brasil, cerca de US$ 22,5 bilhões em receitas no período entre 2020 e 2024, o que significa um crescimento anual médio no período de quase 180%.

Os notebooks (que perderam seu lugar de queridinhos dos consumidores para os celulares), também irão se beneficiar dessa nova tecnologia, e assim oferecer a capacidade aos usuários de estarem sempre conectados em alta velocidade também em seus portáteis.

 Para que isso se concretize, grandes fabricantes de componentes, como Intel e MediaTek, anunciaram esforços conjuntos para a integração de modems 5G aos novos portáteis. E o resultado já está sendo visto no começo deste 2021, quando os fabricantes devem colocar no mercado seus primeiros notebooks compatíveis com essa conexão rápida.

No mundo dos tablets, o 5G também marca presença. Afinal, como “primos próximos dos celulares”, sempre compartilharam das tecnologias que chegam para os smarpthones. A Samsung, por exemplo, que, no segundo semestre de 2020, recuperou o segundo lugar no mercado mundial de tablets (de acordo com dados da IDC), já lançou o seu primeiro modelo mundial com 5G, tornando-se um dos primeiros fabricantes a adotá-la nesse tipo de equipamento.

Ressaltando que os tablets também estão em evolução, com melhoria no seu nível de processamento, telas maiores e até mesmo teclados, tudo isso para também atrair os consumidores mais preocupados com produção de conteúdos e produtividade. 

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email