Nesta nossa passagem pela vida sempre fora importante nos encontrarmos presente no seio da família, eis que só a presença entre netos, filhos e pais fortalecerão o espirito de união e de cristandade. Infelizmente, não é o que  vimos no cenário político, onde diariamente os noticiários sustentam encontrar-se a democracia sob constante e direta ameaça. De onde partem? Dos radicais, dos intolerantes  ou dos oportunistas? Para muitos destes só interessa o que os derrotados nas urnas dizem e não o que acontece. Por isso, beiram a leviandade ao criarem o sensacionalismo, bem como ocultarem a realidade onde vários Ministros foram longe demais; tanto que o Presidente do STF emudecera. Todo  poder emana do povo que constantemente tem ido às ruas, numa demonstração inequívoca de que está com Bolsonaro, até porque jamais se concordará com uma “ditadura de fato” imposta por quem não recebeu voto. A cada semana estão esticando a corda, a ponto de pretenderem bater de frente com as Forças Armadas, como se todos fossem se curvar a uma instituição desacreditada como soe ser o STF.  Ademais, agem com se fossem um partido político que visa exterminar o adversário; além de operar como um delegado que instaurara um inquérito, investiga e pretende acusar e julgar; num verdadeiro descalabro. A democracia vai mal e por culpa de vários Ministros do STF. Tanto isto é verdade, que o Min. Barroso acaba de “criar” um inquérito contra o Presidente, ultrapassando limites, em cristalino equívoco; uma vez que o STF não tem essa prerrogativa que é exclusiva do MPF. Assim, cometerá o STF um ato de lesa-pátria se assim proceder e teremos um crime constitucional. Afinal, é o STF o guardião da Constituição ou só quando interessa? Porque será que o Min.Toffoli rejeitara o pedido para impedir o desfile militar com tanques em Brasília, alegando que a competência é do STJ? 

Por  outro lado, não foram os que elegeram Bolsonaro  que criaram o atual dilema: amar ou odiar Bolsonaro. Este rancor é fruto de uma campanha difamatória imposta pelos covardes que o atacam  desde sua posse, como se fosse um pária, um ser desprezível, mas que hoje tem 72 milhões de votos e é recebido em todas as cidades do Brasil. Não é o caso do LULA, o ex-presidiário : Pobre e podre imprensa que se refere ao Presidente unicamente para difamá-lo; e de forma vil e torpe, tenta transformar o maior ladrão dos cofres públicos, criminoso e condenado, em um injustiçado. O povo já acordara e não será enganado; nem aceitará esse tipo de influência de uma mídia covarde.

Ninguém morre de amores por Bolsonaro, mas o Brasil hoje, mesmo com essa pandemia que já ultrapassa dois anos, progride em vários segmentos. Obras sendo realizadas por todo o País; produção e exportações em vários setores sempre crescendo e teremos um superávit recorde de 100 bilhões de dólares na balança comercial. Somos o país que mais preserva o solo e na pecuária continuamos expandindo o mercado. E temos uma das quatro agências da ONU aqui, bem como um escritório da Organização Mundial do Turismo; fatos sonegados pela mídia covarde, mas que revelam a importância do Brasil no cenário mundial.  O povo brasileiro precisa de Bolsonaro e o Brasil muito mais; até porque já dissera: “Se a Pátria amada for ultrajada, lutaremos sem temor”. Por isso, se criarem a ruptura institucional com esse pedido de abertura de inquérito contra Bolsonaro, terão a resposta do povo e, quiçá, das Forças Armadas.

E, àqueles que denigrem nossa imagem no exterior nosso desprezo porque são pobres de espírito ao agirem contra nosso país, demonstrando seu interesse político, passando por cima do patriotismo que desprezam; sendo apátridas. Sejam todos mais honestos.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email