Comunitários realizam gincana em prol da preservação ambiental

As comunidades dos Lagos do Calado e Paru, que ficam no município de Manacapuru, realizaram no ultimo final de semana a GICA (Gincana Ambiental dos Lagos Paru e Calado). A Gincana Ambiental tem o propósito de despertar e orientar os estudantes da rede pública das comunidades rurais o interesse pela preservação do meio ambiente, transformando as crianças em agentes multiplicadoras.
O evento é uma mobilização sócio-cultural que enfoca temas ambientais, valorizando a relação dos alunos com a natureza. A Gincana conta com o apoio dos Governos Estaduais, Municipais, Ufam (Universidade Federal do Amazonas), e empresas como a Moto Honda da Amazônia.
Segundo o secretário de educação do município de Manacapuru, Ariovaldo Vasconcelos, os princípios de sustentabilidade, a integração das comunidades ribeirinhas e a conscientização pela preservação do meio ambiente, é o fator crucial para que a Gincana Ambiental continue fazendo a ponte de ligação entre os pais, os alunos, as associações e as instituições, com a finalidade de preservar a natureza visando um futuro melhor para as próximas gerações.
“A parceira com a Honda, que está desde o inicio do projeto, tem contribuído bastante para que o evento se realize de forma concreta e também atinja seus objetivos que é integrar os estudantes na questão da preservação ambiental”.
“As instituições têm grande importância no processo, mas a participação da imprensa é fundamental, por levar a iniciativa ao conhecimento do resto do País”.
O gerente da Gestão Ambiental da Moto Honda da Amazônia, Josué Campos, destacou a participação da empresa para o sucesso do projeto.
“Nós já estamos na décima primeira Gincana, e a Moto Honda Participa desde 2003 dando apoio e ajudando esse projeto que é de grande importância ambiental, e que já faz parte do calendário de comemorações da semana do meio ambiente da cidade de Manacapuru, e as regiões dos Lagos do Calado e Paru”.
“O projeto nasceu a partir de um período em que os peixes desapareceram dos lagos e os pesquisadores do Inpa (Instituto Nacional de Pesquisa da Amazônia), descobriram que os resíduos das malhadeiras, das redes e das tarrafas tiravam os umes do leito dos rios e que faziam os peixes irem embora, aí percebeu-se a importância de criar um projeto de conscientização junto à comunidade para se trazer vida novamente aos lagos, portanto o projeto eco vida, é um eco muito forte para a vida, e influência de forma positiva para a educação ambiental das doze comunidades dessa região”.
Para a gestora do Centro de Educação Infantil Duque de Caxias, Elaine de Souza barroso, o projeto é de suma importância para a conscientização das comunidades, a começar pelas crianças que acabam se tornando em agentes multiplicadores.
“Os nossos alunos criam expectativas de como vai ser a participação deles no processo, com a realização do projeto, podemos observar resultados satisfatórios na questão primordial que é a educação e a preservação ambiental, nossas crianças e adolescentes já se sentem como parte integrante desse projeto”, comemorou Elaine.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email