14 de abril de 2021

Como começar o ano no azul

O final do ano está próximo e com a chegada do 13° salário, participação nos lucros ou outras bonificações, os consumidores têm uma grande tarefa, que é aproveitar esse dinheiro para quitar dívidas e também se planejar para as compras de Natal

O final do ano está próximo e com a chegada do 13° salário, participação nos lucros ou outras bonificações, os consumidores têm uma grande tarefa, que é aproveitar esse dinheiro para quitar dívidas e também se planejar para as compras de Natal. Essa é a dica de Ricardo Pereira, do Programa Consumidor Consciente, da MasterCard, que afirma que o ideal para começar 2013 no azul é aderir ao planejamento financeiro.
Ele afirma que é necessário que o consumidor lembre-se de que no início do ano surgem outros compromissos financeiros como IPVA, IPTU, matrícula, material escolar, viagem e outras despesas. “Por isso, o ideal é que em dezembro o consumidor não se deixe levar pelo impulso das festas, e consuma de forma responsável e consciente para não se endividar”, destaca Ricardo.
Para as compras de Natal, Ricardo aconselha que é importante que o consumidor saiba o que vai comprar e quanto pretende gastar antes de sair de casa em busca de presentes. “Deve-se utilizar o crédito com responsabilidade, pois só assim você terá a certeza de que não estará comprometendo sua saúde financeira”, disse.
Além disso, ele recomenda que o consumidor deverá se organizar para controlar as despesas parceladas e acompanhá-las dentro do seu fluxo de caixa pessoal. “É importante não comprometer mais do que 30% de sua renda com dívidas, por isso, procure por presentes que caibam no orçamento. Para isso, a internet é um bom caminho para comparação de preços”, indica Pereira.

Dicas para 2013

De acordo com Pereira, para iniciar o ano sem dívidas, o consumidor deve utilizar o 13° para quitá-las ou, pelo menos, boa parte delas. “Se possível, reserve também uma quantia para um fundo de emergência. Isso pode ser útil caso as contas não fechem em janeiro”, indica o especialista.
Ricardo explica que final do ano é também uma boa época para iniciar seu planejamento financeiro. “Se seu principal objetivo é livrar-se do endividamento, aproveite a motivação para colocar em prática o controle de suas receitas e despesas”, comenta o especialista em educação financeira, que aponta que para isso não existe fórmula mágica, é fundamental apenas que haja disciplina e organização para anotar todos os meses, tudo o que se gasta para assim saber para onde seu dinheiro está indo.
Ele conta que, além da falta de planejamento, o problema do endividamento é causado pela compra por impulso. “Para evitar isso, o consumidor deve sempre se questionar antes de fazer a compra, perguntar-se se aquilo é realmente necessário e se não irá comprometer o orçamento”, indica Pereira. Se o produto ou serviço for indispensável, faça uma pesquisa de preços antes de realizar a compra. É fundamental ter visão de longo prazo.
Algumas pessoas preferem optar por planilhas ou até mesmo, a velha caderneta, mas Ricardo frisa que hoje há na internet softwares e sites gratuitos que também facilitam organizar o orçamento mensal. “O importante é ter consciência que é preciso gastar menos do que ganha e com o que sobrar poupar e investir”, comentou o profissional.
Ao fim do mês, faça as contas. Se os gastos estiverem ultrapassando os ganhos é preciso economizar. Comece a checar a sua planilha de baixo para cima, verificando os gastos eventuais, pois podem ser facilmente diminuídos, substituídos ou eliminados. Depois, reveja os gastos variáveis e organize uma campanha familiar para poupar energia elétrica, água e telefone. Estipule objetivos que possam ser cumpridos, como reduzir o valor dessas contas.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email