Como agir na hora do sufoco do desemprego

De janeiro até março de 2009, no Amazonas, mais pessoas foram desligadas de seus empregos que admitidas. Os dados são do Ministério do Trabalho e Emprego juntamente com a Caged e compreende somente as atividades com carteira assinada

De janeiro até março de 2009, no Amazonas, mais pessoas foram desligadas de seus empregos que admitidas. Os dados são do Ministério do Trabalho e Emprego juntamente com a Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) e compreende somente as atividades com carteira assinada. Ao todo, 31.133 pessoas foram admitidas no mercado formal, enquanto 45.075 ficaram desocupadas. E em momentos de crise esse número tende a aumentar. Então o que fazer para manter o emprego? E como agir no caso de ser mandado embora de uma hora pra outra?
De acordo com a supervisora de Recursos Humanos, Socorro Nunes, todo profissional deve estar preparado, buscando sempre fazer cursos de especialização que muitas vezes a própria empresa fornece. Fazer esses treinamentos enquanto empregado mostra que o funcionário está interessado em crescer profissionalmente e em seguir uma possível carreira na empresa atual.
Por isso, mesmo com o orçamento apertado, é aconselhável para o profissional se especializar na sua área de atua­ção. Segundo Socorro, o funcionário que eventualmente for desligado do serviço e que possui direito a seguro-desemprego, não deve se acomodar no período de recebimento do benefício, nem se deslumbrar com o valor da rescisão, guardando uma boa parte dela.
O especialista em Administração Executiva pela FGV (Fundação Getúlio Vargas) e coordenador acadêmico regional do Instituto Dossiê e Ibmec (Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais), Paulo Barbosa, afirmou que a demissão para o empregado é um fato que mais cedo ou mais tarde se apresentará e cobrará seu preço. Neste caso, segundo ele, a preparação para recolocação no mercado se faz de uma forma: “Melhorando sua capacitação profissional”. Com relação às dívidas contraídas enquanto empregado, Paulo Barbosa aconselha procurar o credor e negociar um bom desconto para pagá-la à vista, com a rescisão contratual. Mesmo assim, deve-se estabelecer prioridades para pagamento. Analisar com critérios claros as dívidas já é um bom começo.
Especialistas aconselham manter um network (rede de relacionamentos, em tradução livre) com contatos importantes, para manter o currículo circulando nos lugares certos. Mas de acordo com Paulo, a rede não se deve ater ao boca a boca dos pequenos círculos de amizades. “Aquela de barzinho, do futebol, do gamão, do baralho, talvez ajude a passar o tempo, mas para montar uma network que seja valiosa, precisamos mais que amizades, precisamos saber onde essas amizades se fortalecem. O network é fundamental para a colocação profissional de qualquer candidato. Ter uma rede de relacionamentos gera contatos importantes na hora de procurar um novo emprego”, comentou Paulo.
Não se deve também mandar informações profissionais para qualquer lugar. “Geralmente, as pessoas mandam (o currículo) para uma vaga qualquer anunciada em jornal quando não possuem experiência na área. Isso acaba queimando a pessoa, pois ela fica fazendo panfletagem com seu currículo, que acaba circulando pelos lugares errados”, comentou Socorro Nunes. Ter os dados sempre atualizados, facilitando a comunicação com o candidato, é uma passo importante da seleção para um emprego, visto que depois da análise, nada pior para o profissional do que perder uma vaga por causa de um número de telefone errado.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email