Comissão faz debate sobre arranjos

Nesta segunda-feira, dia 10, na Comissão de Relações Comerciais da Zona Franca de Manaus e do Mercosul da Assembléia Legislativa do Estado do Amazonas foram discutidos os novos planos de APLs (Arranjos Produtivos Locais), coordenado pela Seplan (Secretaria de Estado de Planejamento). A deputada estadual Vera Lúcia Castelo Branco é presidente da Comissão e autora dos freqüentes convites às classes empresarial e industrial e aos órgãos estaduais e municipais para ampliar o debate sobre a sustentabilidade e o crescimento da economia do Amazonas.
As reuniões são realizadas às segundas-feiras, às 9h, no 4º andar da ALE. Na última reunião estavam presentes o deputado estadual Nelson Azedo e representantes da Fieam (Federação das Indústrias do Estado do Amazonas), Suframa (Superintendência da Zona Franca de Manaus), secretarias do governo do Estado e da Prefeitura Municipal de Manaus, autoridades de municípios que fazem parte da RMM (Região Metropolitana de Manaus), entidades de classe e empresários.
A deputada Vera declarou que, como presidente da comissão, pretende estender as informações concluídas durante as reuniões para estimular medidas de incentivos para novos investimentos na região para que toda a população amazonense seja beneficiada com novos empreendimentos industriais, emprego e renda. “Precisamos preservar o modelo Zona Franca de Manaus e também buscar novas alternativas de economia como investir em piscicultura e outros recursos que a nossa terra nos oferece, mas sempre com a visão de desenvolver o Estado e preservar a nossa floresta amazônica”, destacou a parlamentar.
O diretor do Departamento de Desenvolvimento Regional da Seplan, Marcondi Carvalho de Noronha, apresentou o plano de desenvolvimento da Secretaria do Governo do Amazonas referente às perspectivas para o aproveitamento das potencialidades regionais. Segundo Noronha, a estratégia de atividades é realizada a partir do estudo de zoneamento local.
“Precisamos diversificar a economia do Estado que hoje é centralizada no Pólo Industrial de Manaus. Nosso trabalho para o desenvolvimento de APL parte de quatro critérios: uso racional dos recursos naturais, mecanismo de proteção e meio ambiente, recuperação de áreas degradadas e introdução de novas tecnologias”, declarou o técnico da Seplan.
No debate, o deputado Nelson Azedo enfatizou que antes de propor meios de desenvolvimento estadual, deve haver uma política para reforçar a infra-estrutura tanto da capital quanto dos municípios. “Nosso principal problema para o Estado crescer é a falta de energia. Não pode haver desenvolvimento se ainda somos carentes de luz. Exemplos recentes como do Festival de Parintins e do Fecani em Itacoatiara revela nossa realidade que quando as cidades sobrecarregam a energia por conta dos eventos os moradores ficam às escuras”, disse o parlamentar.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email