Comércio tenta driblar a Copa

De acordo com a Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes), excepcionalmente neste ano de Copa do Mundo, o setor de serviços espera faturar mais até o dia 11 de junho, véspera do Dia dos Namorados, uma vez que a abertura do mundial de futebol acontecerá no dia 12. Segundo a ACA (Associação Comercial do Amazonas) o varejo prevê queda nas vendas do comércio tradicional; porém, tenta driblar o resultado negativo com produtos relacionados ao evento esportivo e direcionados aos torcedores.
Para a presidente da Abrasel, Janete Fernandes, a intenção é antecipar a comemoração do Dia dos Namorados para o dia 11, como já sugeriu a campanha da cerveja Brahma.“Tem que antecipar porque no dia 12 eu não acredito que os namorados vão sair; sinceramente, eu acho complicado. Eu afirmo que não vai ser o mesmo movimento de todos anos”, afirmou.
Janete antecipou para o Jornal do Commercio o slogan especialmente desenvolvido pela Abrasel que deverá trair os clientes enamorados neste ano atípico de Copa do Mundo: ‘Dia 11 de junho o amor vem antes de tudo’, “inclusive antes dos jogos da seleção”, adiantou. No momento não há uma campanha promocional para atrair os casais enamorados, cada estabelecimento deve fazer o seu chamariz.

Floriculturas
Segundo a sócia-proprietária da floricultura Flora Tropical, Kei Nagai, para estimular as vendas no Dia dos Namorados, o setor apostou em arranjos florais com as cores da Copa, ao invés do tradicional buquê de rosas vermelhas. “O comerciante não pode ser negativo. Por isso vamos investir nas cores amarela, salmão e branca para os buquês de rosas e nos arranjos de flor de girassol ou de margarida tipo bola belga”, disse.
Para Nagai, a expectativa de vendas permaneceu no empate em relação ao resultado do ano passado. “Trabalhamos mais com eventos, que aumentam com a população, naturalmente. Se repetir as vendas de 2013, ficaremos satisfeitos”, estimou. Nas vitrines o boneco Fuleco reforça o time de brindes para os casais enamorados comemorarem em ritmo de Copa. A Flora Tropical fica na rua Recife, 229 no bairro de Adrianópolis, zona Sul da cidade.

Varejo teme prejuízo
Conforme disse o presidente da ACA, Ismael Bicharra Filho, os empresários, comerciantes e entidades estão se movimentando na tentativa de diminuir o prejuízo evidente durante os dias de jogos da seleção brasileira e também nos jogos realizados em Manaus. “Nós temos certeza que, para o comércio, a Copa vai ser um prejuízo no comércio tradicional”, alertou.
Bicharra afirmou que a maior preocupação do setor está no fato de, no período de jogos, ser decretado ponto facultativo. Com empresas e lojas antecipando o horário de fechamento, vendas e faturamento serão reduzidos. “Muita gente vai viajar, tem menos trabalho e menos dinheiro em circulação. E o grande público que vem para cá são estrangeiros, que o consumo é mais de serviços – setor que vai estar muito bem por sinal: hotelaria, restaurantes, taxi”, relatou.
O comércio, através da ACA, pleiteou junto à Prefeitura de Manaus tornar ponto facultativo os dias de jogos, ao invés de feriado, como já foi decretado em outras cidades-sede do mundial, para reduzir o impacto negativo nas vendas do comércio no centro e nos shoppings da cidade. “Esse já foi um ganho muito grande”, admitiu Bicharra.

Hospedagem alternativa
A Amazonastur (Empresa Estadual de Turismo do Amazonas) vem incentivando a hospedagem de turistas torcedores – que virão para os jogos de suas seleções – em quartos de motéis, iates de luxo e em residências. Em Manaus, cerca de 30 motéis e 30 iates de luxo foram selecionados para receber os turistas durante o mundial de futebol. As embarcações possuem camarotes, salas, cozinha, banheiros e área de lazer. A medida foi tomada na tentativa de suprir a demanda estimada entre 60 mil a 80 mil turistas que se hospedarão em Manaus durante o mundial.
De acordo com a Amazonastur, atualmente estão disponíveis 23 mil leitos nos 107 hotéis da capital, 80% está com a capacidade esgotada. Levantamento realizado pela empresa de turismo revelou que a média da diária é de R$ 375,67. Foi descartada pelo governo a alternativa de colocar navios cruzeiros no Porto de Manaus para receber turistas na Copa da Fifa 2014.
Segundo a presidente da Amazonastur, Oreni Braga, a oferta de hospedagem alternativa não é novidade no Brasil, mas em Manaus será apenas para suprir a demanda da Copa do Mundo. “Com os motéis e os barcos esperamos acrescentar mais de 900 leitos disponíveis na capital amazonense. Mas, em Manaus, vale lembrar que o projeto tem validade. Não será permanente. Termina com o encerramento da Copa”, esclareceu.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email