Comércio tem queda de até 70% em Manaus

O comércio de festas de Manaus sente os impactos da crise econômica e registra queda de 30% a 70% nas vendas de produtos para a organização de eventos.

De acordo com a gerente de loja da Tropical Festas, Rosana Santos, com a crise, a venda de produtos para festas teve uma queda de 30% a 40% este ano. “Ano passado não sentimos muito este impacto. Mas em 2016, o grupo Tropical Multiloja teve que mudar sua estratégia de venda em todos os seus produtos que estavam parados nas prateleiras”, disse ela.

Para amortecer o impacto da crise, uma reunião com os fabricantes foi realizada pelo grupo, “a fim de desenvolver um planejamento estratégico em busca de um preço mais acessível”, lembra Rosana.
E outro método para a saída dos produtos das prateleiras, foi oferecer, durante todo o ano, principalmente nos finais de semanas, ofertas e descontos em vários itens. “Verificamos que alguns deles, os clientes os desconheciam. Dessa forma tivemos que embutir ofertas promocionais para que fossem vendidos”, salienta a gerente.

As promoções foram em cima de itens como: lembranças, descartáveis, balões, velas, papéis e até na própria decoração encomendada na loja.

A rede Tropical Multilojas possui quatro lojas em vários segmentos: festa, bebês, cosmético e armarinho. E no segmento de festas, a mesma tem mais de 20 mil itens que são: produtos personalizados, confecção de banneres; lembranças; adesivos, etiquetas, embalagens, fantasias, máscaras, chapelaria, papelaria e sacolas.

Tecnologia e festa

Rosana conta que, com as novas tecnologias, como o YouTube, houve uma alavancada nas vendas dos produtos da loja. “Hoje, mesmo as pessoas não contratando a festa completa, elas estão comprando mais itens com a gente, por conta dos vídeos de organização de festas exibidas pelo YouTube. E como temos uma grande variedade de itens, acaba que também ganhamos com essa nova ferramenta”, salienta a gerente de loja.

Mudança no setor
E na Shalon Festas, localizada na rua dos Andradas, 178, Centro de Manaus, a crise foi sentida este ano com a queda de 70% nas vendas de todos os 25 mil itens da loja.
Segundo a gerente de loja, Eliliana Alencar, o estabelecimento também teve que reduzir preços e fazer descontos promocionais em cima de alguns dos seus produtos. “Aqui, só não realizamos a festa, mas vendemos toda a matéria-prima para a organização dela. Que vai dos bombons às lembrancinhas, para ornamentação das mesas. Acredito que esta crise vai passar nos próximos meses de 2017”, diz a gerente, ao apostar nas festas de final de ano e de carnaval para melhorar as vendas da loja.
Alencar afirma que as grandes festas também diminuíram com a crise. “As pessoas estão preferindo comprar a matéria-prima, como: tecidos, velas, papéis e fantasias para organizar os seus aniversários em casa.
E isso mexeu um pouco no comportamento do comércio que vende produtos para pequenos e grandes eventos”, finaliza a ela.

Panadeiro sente há dois anos o baque da crise

Já segundo o gerente de Marketings da Panadeiro Brasil, Leonardo Pessoa, a loja vem, há dois anos, sentindo o baque com a crise economia. “Todo início do ano para a nossa empresa é difícil. Vejo que não tivemos um crescimento nas vendas, mas também, não caímos. O que acontece, é que estamos estagnados. E o que nos mantém fora totalmente da crise, é a venda dos produtos de panificação. Pois temos muita procura por panificadoras e os clientes que confeccionam seus doces para revenda”, afirma Leonardo.

“Antes as pessoas realizavam seus eventos em casas de festas, com buffets alugados. Hoje, passaram a organizá-los em suas próprias residências, diminuindo a compra de produtos em grande quantidade na nossa loja. E mesmo assim, ainda oferecemos ofertas e descontos”, ressalta o gerente.Há 19 anos no mercado de venda de produtos para Festas e Panificação, a Panadeiro Brasil oferece hoje mais de 15 mil produtos em seu portfólio. “Nós vendemos da matéria-prima, até a embalagem de doces. Temos velas, balões, bombons até as lembrancinhas para qualquer tipo de evento. Acredito que a qualidade dos nossos produtos faz o diferencial para a procura dos nossos clientes”, finaliza ele.

Festa em Casa

Para fazer a festa de aniversário de um ano da filha, Maria Clara, a dona de casa Maria Cristina, 32 anos, disse que a pesquisa pelo preço baixo ainda é a melhor forma para se encontrar os produtos para festa. “Estou vendo uma diferença muito grande nos preços de uma loja para a outra. Os produtos estão muito mais caros. E por isso, não vou contratar nenhum serviço, eu mesma vou preparar a decoração e a comida da festa da minha filha”, disse ela.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email