Comércio online ganha espaço

Com índices cada vez mais elevados, o comércio de flores é um mercado vasto e bastante lucrativo em qualquer época do ano. Presentes em casamentos, festas de finais de ano, aniversários e outras datas, como Dia das Mães, Finados e dos Namorados abrir uma loja de flores pode ser um excelente investimento e uma boa fonte financeira. Para atender uma clientela cada vez mais exigente, muitas floriculturas têm apostado em atendimento online para tornar o serviço diversificado e criativo. Segundo empresários do ramo, o importante é ter o foco no atendimento, qualidade do produto e pontualidade das entregas. São Paulo ainda é a principal rota de fornecedor da capital amazonense.
O gerente da floricultura Bella Flor, Diogo Alves, conta que os números de faturamento da loja só vêm aumentando nos últimos meses. Ele explica que, o estabelecimento chegou a marcar índices considerados baixos, mas nada significativo. “Em setembro deste ano assumi o cargo e tinha o desafio de fazer uma boa gestão. E naquele mês o nosso lucro foi de R$ 12 mil, representando 95% de crescimento ante agosto que arrecadou R$ 6.400. Já outubro fechou com mais de R$ 14 mil em faturamento e para os dois últimos meses do ano, a nossa expectativa é de chegar a R$ 30 mil”, afirma. Para atender a demanda da loja, é enviado semanalmente pedido a distribuidora localizada no interior de São Paulo.
O Dia das Mães, Dia dos Namorados, Dia dos Finados, Dia Internacional da Mulher e festa de final de ano são os períodos que mais se vendem buquê e arranjos de flores. Segundo Alves, mesmo com a crise aguda que desestabilizou a economia no país, a comercialização de flores no Amazonas não foi afetada por ela. “É um ramo sempre em movimento porque as pessoas não deixam de presentear com flores suas mães, namoradas e esposas, principalmente a classe A.
Hoje por exemplo, os casamentos são cada vez melhores com decorações deslumbrantes e caras. E agora com a proximidade do Natal, as pessoas compram para pôr na ceia ou presentear alguém e no Réveillon levam para praia ou igrejas para atos religiosos”, disse o gerente. A principal dificuldade do comércio geral é encontrar profissionais qualificados para atender à necessidade dos lojistas.
Com uma clientela cada vez mais exigente, muitas floriculturas têm apostado no atendimento online para tornar o serviço diversificado e criativo. Há 20 anos no negócio, a Bella Flor também tem investido na prática e sente o bom desempenho. “O serviço atende aquele cliente sem tempo de pode ir até a floricultura, além de evitar estacionamento e falta de segurança nas ruas. Ele entra no site, faz o pedido, envia o comprovante de pagamento e endereço, pronto. Hoje 90% das nossas vendas são feitas pela internet”, destaca Alves. A loja oferece também cestas de café da manhã, chocolates, plantas e kit especiais.

Nem tudo são “flores”
Apesar de ser um mercado que vem crescendo, algumas floriculturas ainda sentem os efeitos da crise. A Flora Tropical, uma das mais tradicionais na capital teve queda de 30% nas vendas em relação ao ano passado, segundo a proprietária Kei Nagai. De acordo com ela, o fluxo de consumidores se manteve, mas a quantidade do que é comprado teve queda. “A gente observa que os clientes são fiéis e a frequência de vendas continua normal, mas a quantidade do produto vendido é que caiu. A vantagem é que as flores são presentes práticos e democráticos que agradam todos os tipos de clientes, independente do sexo e credo”, disse. Em 2013, foi o período considerado melhor em venda do estabelecimento, que já tem 32 anos de mercado.
A empresária conta ainda que, o Dia das Mães se mantém como a melhor data para a loja, saindo na frente de Finados e Namorados. Com a proximidade das festas de fim de ano, as expectativas são de aumento na procura por flores como orquídeas, as queridinhas do público em geral. A Flora Tropical também atende pela internet, no entanto, o fluxo de vendas é bem modesto. “O site ajuda muito na divulgação dos produtos que oferecemos, mas representa apenas 10% no nosso faturamento. A maioria dos clientes da loja ainda preferem ir no balcão para escolher as flores, arranjos e cartões, assim se cria um vínculo e nos aproxima”, ressalta Kei. Atibaia e Holambra em São Paulo são as principais rotas de fornecimento de flores do estabelecimento. Apenas flores tropicais são produzidas no sítio da família em Manacapuru, município localizado a 98 km de Manaus.

Expectativa de alta no Dia dos Finados

O Dia dos Finados é a terceira melhor data para o comércio de flores, depois de Dia das Mães e Namorados. Tradicionalmente, a maioria das pessoas vão aos cemitérios para levar flores, acender velas, orarem e prestarem homenagens aos entes queridos que já partiram. Segundo o gerente da floricultura Bella Flor, as vendas serão boas e que o feriado ajuda alavancar o número de flores vendidas na loja durante o ano. Na loja os clientes podem encontrar coroas de R$ 270 a R$ 700. Já os arranjos de flores variam de R$ 40 a R$ 310. A rosa unitária custa R$ 15 e a embalada R$ 10.
Em contrapartida, está a proprietária da floricultura Flora Tropical. Kei reforça que o movimento nas vendas em datas como Finados vem caindo ano após ano. Segundo ela, a queda tem trazido inclusive prejuízos e apenas o Dia das Mães se mantém como a melhor data para o estabelecimento. “Fora essa data, todas as outras caíram e não representam muito rendimento para nossa loja, infelizmente”, enfatizou. Na loja o consumidor pode escolher entre coroas de R$ 180 a R$ 800. Já os buquês variam de nacional R$ 85 e importada R$ 120. A rosa unitária custa em média R$ 8.

Cenário geral

A produção de flores no Brasil não enfrenta crise em 2016 e deve continuar crescendo e fechar o ano com 5% de crescimento. No ano passado, a produção e o comércio faturaram juntos R$ 6,1 bilhões, registrando 8% de aumento. Em todo país, a produção movimenta aproximadamente oito mil produtores que cultivam cinco mil variedades de flores. São 300 tipos de rosas e centenas de orquídeas produzidas em sua grande maioria para abastecer o mercado interno. São Paulo concentra hoje 70% da produção e comercialização das flores. As flores mais vendidas no Brasil hoje são as orquídeas, rosas, crisântemos, kalanchoe e lírios.

O QUE? Floricultura Bella Flor
ONDE? Av. Constatino Nery, 289 – Centro
INFORMAÇÕES: (92) 3633-1337 ou bellaflor.com.br

O QUE? Flora Tropical
ONDE? Av. Mário Ypiranda, 229 – Adrianópolis
INFORMAÇÕES: (92) 3633-4033 ou floratropicalmanaus.com.br

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email