Comércio lojista espera alta de 8%

O resultado das vendas a prazo no Natal gera divergência entre as entidades de Manaus. A CDLM (Câmara de Dirigentes Lojistas de Manaus) mantém a expectativa de crescimento em 8% no mesmo período do ano passado, mas nos shoppings da capital o resultado em torno de 2,97% frustrou os lojistas, assim como aconteceu no restante do país, segundo indicou SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito).
De acordo com o presidente da CDLM, Ralph Assayag as vendas natalinas no varejo devem crescer até 8%, motivadas pelo maior poder aquisitivo dos consumidores para este final de ano com o crescimento de 14% do 13º salário pagos no Amazonas e também na abertura de novas lojas do segmento de brinquedos e eletrodomésticos em Manaus. “A princípio o resultado das vendas deverá crescer 8% superior aos 9% realizados no ano passado”, afirmou.
Ralph questiona a metodologia do SPC Brasil, já que o resultado das vendas a prazo é divulgado em rede nacional, sempre no dia seguinte ao evento. De outra forma a CDLM coleta informações preliminares de entrada de mercadorias registradas na Sefaz-AM, considera o montante depositado no BB (Banco do Brasil) divulgado pelo BC (Banco Central), receber por e-mails de 5 mil lojistas que informam o percentual de vendas, entre outras considerações, procede a compilação das informações para chegar ao resultado das vendas em cada evento. “Como eles já têm essa informação em menos de 24 horas do encerramento das vendas? Eu não sei como?”, indagou.
O levantamento nacional é extraído do banco de dados do SPC Brasil e divulgado pela CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas), entidades líderes do comércio varejista, que juntas contam com mais de 1,2 milhão de pontos de vendas em shopping centers e lojas de rua em mais de 2.200 municípios brasileiros. A preferência por compras à vista, inflação e crédito mais caro foram os responsáveis pela desaceleração nas vendas a prazo, confirmando as expectativas moderadas dos comerciantes, segundo divulgação do SPC Brasil.

Shoppings

As vendas de Natal frustraram lojistas de alguns shoppings de Manaus, assim como aconteceu no restante do Brasil. De acordo com a ALASC (Associação dos Lojistas do Amazonas Shopping Center) as vendas foram fracas quem se saiu melhor registrou 2% de aumento da comparação do mesmo período do ano passado. Alguns mixes como confecções e calçados ficaram abaixo de 2%, resultado inferior ao obtido em 2012. Já o Shopping Ponta Negra afirma, por meio de sua assessoria, ter movimentado mais de R$ 20 milhões em compras e recebido aproximadamente 150 mil clientes.
Segundo a presidente da Alasc, Mercedes Braz, mesmo registrando um público recorde de 62 mil pessoas nas vésperas do Natal, os consumidores procuravam por lembrancinhas ou optaram por entretenimento registrado nas câmeras dos aparelhos celulares. “Eu não acreditava que as vendas fossem crescer só 2%. Mas depois do dia 15 de dezembro percebemos que seria difícil de recuperar, infelizmente”, lamentou.
Mercedes agora aposta nas vendas de janeiro, motivadas pelas férias escolares e liquidações. “Vai ter o Ponto Mix na segunda quinzena de janeiro que é a grande liquidação do Shopping. E também, após as trocas dos presentes de Natal, passam a comprar confecções e calçados”, explicou.
Ainda sobre a decepção que o Natal 2013, deixou, Mercedes acredita que foi agravada pela falta de uma política econômica, que eleva o nível de consumidores inadimplentes e, pelo estímulo ao turismo no exterior com destino aos Estados Unidos, onde os brasileiros vão gastar milhões em compras fomentando a economia norte-americana. “Os brasileiros estão ajudando a recuperar a economia norte-americana e prejudicando a nossa, os economistas veem alertando. Enquanto nós não tivermos uma reforma tributária, não sei o que vai ser do comércio no Brasil”, desabafou. Somente no primeiro semestre de 2013, os brasileiros já gastaram R$ 18,3 bilhões no exterior, segundo dados da OMT (Organização Mundial de Turismo).
Segundo Ralph Assayag na primeira quinzena do ano o comércio de Manaus trabalha para zerar os estoques e renovar mercadorias para 2014, com promoções e “queima de estoque”. “Até dia 15 de janeiro se trabalha com o estoque, os lojistas buscam atrair clientes com liquidações para ganhar espaço, já se preparando para receber a nova coleção de mercadorias”, conclui o presidente da CDLM.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email