Comércio de Manaus tem boas expectativas para o Dia das Mães

O Dia das Mães deste ano traz entusiasmo para o comércio amazonense depois de um ano com medidas impostas em razão da Covid-19. Quanto às vendas para o período, no que depender dos consumidores, a segunda maior data do varejo brasileiro não vai passar em branco. Pelo menos é o que indica mais uma pesquisa de intenção de compra divulgada pela CDL-Manaus (Câmara de Dirigentes Lojistas de Manaus), ao apontar que este ano  84,6% pretendem ir às compras. 

A entidade espera um crescimento de 3,8% em relação ao mesmo período de 2019. Com  ticket médio de compras de R$ 144,90 e o setor deve arrecadar uma receita bruta de mais de R$ 147 milhões. 

De acordo com a pesquisa, perfumes, roupas, calçados e acessórios estão entre as principais escolhas para quem vai presentear a mãe. (26,9%); (19,5%); (16,7%) e (12,4%), respectivamente. Joias e relógios (8,2%) e eletrodomésticos (5,2%).

A pesquisa detalha que o comportamento do consumidor permanece o mesmo, se comparado ao mesmo período de 2019, quando o levantamento apontou vestuário (19,7%) como preferência de presentes; calçados (18,6%%) e eletrodomésticos (17,5%).

Quando o assunto é ser presenteado (25,6%) os amazonenses preferem roupas; o setor de perfumaria e cosméticos é a preferência de (21,6%); bolsas e acessórios (14,5%) e (12,5%) deseja calçados. Os celulares compõem a lista na preferência de (7,4%), seguido dos eletrodomésticos que aparecem como opção de presente de 5,3%, jóias e relógios 5,2%.

Ao menos 28,9% dos amazonenses pretendem gastar R$ 51 a R$ 100 com presentes; 36,8% entre R$ 101 a R$ 200, seguido de 5,3% até R$ 50 e 7,9% R$ 201 a R$ 500.

Otimismo

Este ano, o Dia das Mães é tido como um passo  importante para a retomada do setor. Segundo o presidente da CDL-Manaus, Ralph Assayag, um dos fatores para o comportamento do consumidor em investir em  presentes está relacionado ao retorno das atividades comerciais este ano, que diferente do ano passado, travou a expectativa das famílias. “No ano passado,nesse período estava tudo fechado.Muitos deixaram de comprar este ano. É um dos fatores”. 

Ele também cita que um outro motivador é que a economia está se posicionando e aos poucos demonstra sinais de crescimentos. E conclui que a liberação de recursos municipais, estaduais e federais  nesse período do mês vai ajudar bastante com que todos comprem presentes e qualquer financiamento. As lojas estão prontas para dividir em parcelas para a gente atingir esses numeros”, considera.  Esse ano, a data será celebrada dia 9 de maio.

No ano passado, 2020, o Dia das Mães aconteceu nos primeiros meses de consequências da pandemia de Covid-19, o que impossibilitou a realização da pesquisa, por isso, o comparativo é em relação ao ano de 2019.

O presidente em exercício da Fecomércio (Federação do Comércio do Amazonas), Aderson Frota, acredita que haja crescimento em todo varejo. Segundo ele, a data comemorativa, é considerada a segunda mais importante do calendário do varejo nacional.

“É sem dúvida, uma das datas com maior vigor no comércio e pode fomentar a economia local. É a segunda melhor data depois do Natal. Eu espero que tenhamos muitos motivos não só para festejar o incremento das vendas, mas acima de tudo que esse aumento vai representar uma retomada muito boa para o setor econômico como para o comércio varejista. Nós esperamos ter um Dia das Mães proveitoso, afirmou o presidente em exercício da entidade, Aderson Frota. 

Para o economista Marcus Evangelista, a data comemorativa é sinônimo de movimento no comércio, apesar dos efeitos de um ano pós segunda onda ainda sob decretos que limitam esse fluxo, ele diz que ainda assim todos os segmentos devem aproveitar a data. “A gente espera um movimento grande. Espera-se que esse ano supere-se a meta de vendas do ano passado que frustrou todo o comércio uma vez que era esperado um movimento que não ocorreu. Vamos ver se essas expectativas se confirmam”.

Outros  dados

Segundo a CDL, quanto à escolha das compras (29,4%) pretendem ir às compras nos shopping centers; comércio de bairro (19,5%) em sequência a área central da cidade (16,4%).

Ainda conforme o levantamento, consumidores manauaras vão preferir efetuar o pagamento parcelado (31,2%). Pelo menos (19,3%) pretendem pagar no débito, (16,3%)  vão adquirir o presente da mãe à vista no cartão de crédito; seguido de pagamento em dinheiro (13,5%) e pela modalidade de pagamento instantâneo Pix ( 10,4%) .

A pesquisa revela ainda que em relação a renda familiar dos entrevistados (3,3%) possuem uma renda familiar de R$ 1,5 mil a R$ 2,5 mil; ( 22,2%) entre  R$ 1,1mil a R$ 1,5 mil, (13,9%) uma renda familiar de R$ 2.501,00 a R$ 3,5mil, (13,9%) contam com uma renda  R$ 4,5 mil, 8% e 5% uma renda familiar acima de R$ 4.5 mil.

Entre a faixa etária dos entrevistados, (62,5%)dos manauaras têm idade  entre 18 a 34 anos, (25%) entre 35 a 49 anos e 12,5% tem 50 anos ou mais. 

Foto/Destaque: Fred Novaes

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email