29 de junho de 2022
Prancheta 2@3x (1)

Comemorações pelo Dia Mundial do Pão

Hoje, 16, é o dia mundial daquele que, diariamente, mata a sua fome desde as primeiras horas da manhã: o pão. A data é comemorada desde 2000 por decisão da União dos Padeiros e Confeiteiros de Nova Iorque. Em Manaus, há uns 14 anos, o Sindpam (Sindicato das Indústrias de Panificação e Confeitaria do Amazonas) não deixa o 16 de outubro passar em branco, organizando uma bela exposição com pães artísticos e distribuindo o alimento para os visitantes do evento que este ano aconteceu na praça de alimentação do Manauara Shopping do dia 12, sexta-feira, ao dia 14, domingo.

“Distribuímos entre 60 e 80 mil pães para os visitantes, mais quatro mil pãezinhos doces para as crianças no dia 12, Dia das Crianças”, falou Carlos Alberto de Azevedo, presidente do Sindpam.

“Hoje temos 1.400 padarias legalizadas e filiadas ao sindicato, no Amazonas. Até antes da crise econômica, iniciada em 2015, eram um pouco mais, mas algumas não conseguiram resistir e fecharam as portas agora, porém, com a economia estabilizada e voltando a crescer, certamente novas padarias começarão a abrir”, assegurou.

“Uma padaria, por menor que seja, familiar, por exemplo, precisa de ao menos cinco pessoas trabalhando. Já uma padaria de grande fluxo de clientes, necessita de uns 12 funcionários, ou seja, atualmente temos cerca de 16.800 pessoas diretamente ganhando seu dinheiro com a panificação e a confeitaria, sem falar da geração indireta de empregos”, mostrou.

“Ano passado a venda do pão tradicional, aquele produzido nas padarias, teve uma retração de 7% nas vendas, enquanto os pães congelados, fabricados em indústrias, tiveram um aumento de 9% nas vendas”, esclareceu. “Também já faz mais de um ano que o preço do pão não sofre aumento, porque é o alimento básico da grande maioria da população, e nesse tempo o preço da farinha de trigo já aumentou 27%, então a saída é diversificar produtos e serviços nas padarias”, afirmou.

“Temos algumas distribuidoras vendendo trigo no Amazonas, mas o maior moinho vende uma média de 110 toneladas/mês para as padarias, ainda assim o amazonense consome pouco pão. A OMS (Organização Mundial da Saúde) recomenda 60 kg de pão/ano por pessoa. No Norte a média de consumo é de 26 kg/ano”, revelou.

De forneiro a instrutor
Diego da Silva começou a trabalhar em padaria quando tinha 12 anos de idade e hoje, 18 anos depois, técnico em panificação e confeitaria, forma outros padeiros.

“Comecei trabalhando como forneiro, uma função hoje impensável para um menino de 12 anos, mas naquela época a categoria ainda não era organizada por funções e tudo era permitido. Com 17 anos virei padeiro. Dois anos depois fui trabalhar na Puratos, empresa belga que produz insumos para panificação, confeitaria e chocolate. Lá fiz diversos cursos e me tornei técnico”, contou.

“Meu trabalho é visitar as panificadoras e confeitarias do Amazonas ensinando os padeiros e confeiteiros a trabalhar com os produtos da Puratos. Um desses produtos é a massa madre, um ingrediente básico para a panificação com fermentação natural, mas que nem todo profissional sabe usar. Antes, a massa madre que se encontrava no mercado precisava ficar ‘descansando’ por uma semana para poder ser usada. A Puratos trouxe para o Brasil a primeira massa madre desidratada, que pode ser utilizada em apenas duas horas de descanso”, afirmou.

“O leque da panificação é enorme. Costumo dizer para meus alunos que com o trigo se faz qualquer alimento”, concluiu.

Quem quiser conhecer melhor o trabalho e os belos pães produzidos por Diego, ele estará hoje, a partir das 16h, na Brioche Casa de Delícias, no conjunto Santos Dumont, alameda Santos Dumont, 15, participando de uma degustação de vinhos e pães, claro, comemorando o Dia Mundial do Pão.

Um segmento em alta
Pesquisa recente feita pela Abip (Associação Brasileira da Indústria da Panificação) junto ao Itpc (Instituto Tecnológico de Panificação e Confeitaria), mostrou que o lucro das padarias em 2017 cresceu 3,2% em relação a 2016, e a projeção para 2018 também é animadora. A preocupação dos empreendedores do setor em oferecer serviços diferenciados e produtos exclusivos é, certamente, um dos pontos de destaque em relação ao crescimento do setor.

A tendência dos consumidores em buscar alimentos artesanais e consumir menos produtos industrializados reflete diretamente no segmento. Para atender esta demanda, tanto as novas padarias quanto aquelas que já contam com experiência de mercado estão se adaptando, renovando o fornecimento de gás para padaria, modernizando o mobiliário, recriando o cardápio, buscando proporcionar aos clientes uma experiência diferenciada.

Segundo informações do Sebrae, as chamadas ‘padarias express’ ou ‘padarias conceito’ ganham espaço no mercado, pois focam no atendimento à demanda diversificada que o consumidor apresenta.
Embalagens diferenciadas, iluminação especial, venda de itens fabricados por pequenos produtores, produtos sem derivados de carne ou leite, maquinários modernos são a bola da vez na panificação.
Para quem pretende entrar no ramo, a principal dica é manter-se atualizado nas tendências e novidades do setor, buscando informações nos sindicatos e no Sebrae.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Anúncio

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email