Com novo adiamento, inauguração não tem data

A inauguração da Arena da Amazônia, antes confirmada pelo governo do Estado para acontecer na próxima sexta-feira (14) com a presença da presidente Dilma Rousseff, novamente, ainda não tem dia certo para acontecer. O adiamento foi anunciado na manhã desta segunda-feira (10), pelo governador Omar Aziz (PSD), durante entrevista coletiva concedida na sede da Câmara Municipal de Manaus.
Sem definir uma nova data de entrega, o governador admitiu que “seria uma irresponsabilidade” entregar o estádio antes que 100% dos trabalhos estejam concluídos. A Arena da Amazônia conta hoje com cerca de 96,58% segundo último balanço divulgado pela UGP-Copa dos trabalhos finalizados. Omar Aziz afirmou ainda que a presidente Dilma estaria confirmada para vir a Manaus na próxima sexta, oportunidade na qual também seria entregue mais uma etapa do Conjunto Habitacional Viver Melhor.
“Recebi uma ligação da assessoria da presidente dizendo que ela está disponível para vir a Manaus. Se ela quiser vir só para o Viver Melhor, está bom. Só vamos entregar a obra quando ela estiver 100% pronta. Não há condições de entregá-la do jeito que está. Todo esforço foi feito e nós perderíamos, porque a própria imprensa diria que tem coisas inacabadas. Já passamos por tantas coisas, vidas foram perdidas, não adianta pressa agora”, disse o governador, em referência aos constantes acidentes fatais que vitimaram quatro operários durante as obras no local.

Desencontro

Procurado pelo Jornal do Commercio, no entanto, o coordenador da UGP-Copa (Unidade Gestora do Projeto Copa), Miguel Capobiango, não confirmou nem desmentiu o adiamento. Sem citar os acidentes e contrariando a fala do governador, ele explicou que o pontapé inicial na nova arena depende apenas da disponibilidade na agenda da chefe do Executivo Federal.
“Estamos aguardando uma confirmação do governador com a presidente Dilma. Eu ainda não tenho um diagnóstico final porque ainda estamos dependendo de uma decisão com a presidente. A inauguração só está dependendo da agenda da presidente com o governador”, finalizou.
Também questionada, a assessoria da Amazonastur confirmou a inauguração para o próximo dia 14.

Cronograma

O novo adiamento acontece após o acidente que provocou a morte do operador de guindaste Antonio José Pita Martins, 55, que aconteceu na última sexta-feira (7). Inicialmente prevista para o dia 20 de dezembro de 2013, a entrega da arena amazônica na Copa contaria com o clássico regional entre Rio Negro e Nacional, marcado como evento-teste para o dia 15 de janeiro deste ano. Após acidentes, paralisações por ordem judicial e um pedido do ministro dos esportes Aldo Rebelo, a cerimônia foi transferida para meados de janeiro e também não aconteceu. Finalmente foi estipulado o dia 14 de fevereiro como dia da entrega das obras, prazo que será novamente ultrapassado.
Operários pretendem paralisar obras hoje
Após a morte do quarto operário nas obras do estádio, o presidente do Sintracomec-AM (Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil, Montagem e Manutenção Industrial do Amazonas), Cícero Custódio, anunciou uma paralisação total e por tempo indeterminado dos trabalhos na Arena da Amazônia a partir das 5h da manhã desta terça-feira (11). Segundo ele, a manifestação é uma forma de chamar a atenção do governo do Estado.
“A empresa não respeitou o que aconteceu na Arena. Morreram quatro operários e nós quisemos fazer uma regulatória hoje (ontem) de manhã até para protestar pelas mortes que aconteceram e a empresa botou seguranças para não deixar ninguém sair. Amanhã (hoje) nós vamos barrar a entrada da (Arena da) Amazônia. Não vai entrar ninguém e nós vamos exigir a presença do governador.
Ele acrescenta ainda que o novo adiamento anunciado pelo governador se deve “à incompetência da empresa em entregar na data certa”. Na opinião dele, o estádio amazonense só será entregue em abril de 2014, faltando apenas dois meses para o início da Copa.
Além da paralisação que inicia hoje, Custódio também prometeu levar 98 mil trabalhadores em manifestação marcada para a próxima sexta-feira caso a presidente Dilma confirme a viagem a Manaus.
“Nós vamos aonde a presidente estiver. Se ela for inaugurar as casas, vai ser bom até para nós cobrarmos casas para os trabalhadores, pelo Minha Casa Minha Vida”, disse.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email