11 de abril de 2021

Com exceção de Xangai, demais bolsas caem

O banco americano Merrill Lynch indicou não esperar que o FED faça novos cortes de juros nas próximas reuniões. Para o economista David Rosenberg, o “viés” sinalizado no “statement” divulgado hoje é “neutro”.

As bolsas asiáticas fecharam em baixa ontem. A espera pela decisão do Fed, sobre sua taxa de juros vem mantendo os investidores cautelosos no mundo todo. Outros fatores como o preço do petróleo e os efeitos da crise imobiliária americana sobre a economia mundial, no entanto, também pesaram sobre os negócios.
A Bolsa de Tóquio encerrou a sessão em queda de 2,02%, com o índice Nikkei 225 perdendo 365,62 pontos, caindo para 15.801,80 pontos.
A Bolsa de Valores de Hong Kong fechou o pregão de com o índice referencial Hang Seng caindo 22,49 pontos (0,09%), para 24.576,85 pontos.
A Bolsa de Valores de Seul fechou o pregão com o índice Kospi caindo 33,07 pontos (1,77%), para 1.838,61 pontos, enquanto o índice Kosdaq -de papéis de empresas do setor de tecnologia- caiu 9,30 pontos (1,19%), até 775,45 pontos.
A Bolsa de Xangai, no entanto, teve ligeira alta, estabelecendo um novo recorde de pontuação, e Shenzhen em queda. Em Xangai, o índice geral subiu 3,82 pontos (0,09%), para 5.425,21 pontos. Em Shenzhen, o índice geral caiu 177,96 (0,96%), até 18.316,42 pontos.
A expectativa dos investidores era que o Fed cortasse sua taxa de juros em ao menos 0,25 ponto percentual, a fim de compensar a restrição ao acesso ao crédito nos Estados Unidos devido ao aumento das exigências dos bancos por garantias, devido ao aumento da inadimplência nos últimos meses,o que ocorreu.
O temor entre os investidores era que, caso o Fed não cortasse os juros, ou que o corte fosse visto como insuficiente, a turbulência iniciada no mês passado se agravasse.
O banco americano Merrill Lynch indicou ontem não esperar que o Federal Reserve faça novos cortes de juros nas próximas reuniões. Para o economista David Rosenberg, o “viés” sinalizado no “statement” divulgado ontem é “neutro”. O chamado “statement” é o texto divulgado imediatamente após o final das reuniões do Banco Central americano.
“O Fed não mostrou, e avaliamos que isso é importante, qualquer inclinação para cortar as taxas de novo”, avalia ele.
A autoridade monetária americana fez um corte de 0,5 ponto percentual ontem, baixando a taxa básica de juros para 4,75% ao ano, em linha com as expectativas mais otimistas do mercado.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email