Coleta de dados e informações

Monitoramento
Divulgação

Ciência se faz com dados. O conhecimento científico é uma edificação construída com um tipo de tijolo chamado dado. Um dado nada mais é do que um registro específico acerca de determinado aspecto da realidade. Registrar a realidade é um esforço muitas vezes gigantesco para que se comece a entender o que são as coisas, como elas se comportam e por que se comportam da forma como imaginamos. Sim, ainda que realizada de forma sistemática, com erro especificado e passível de ser falseável, a explicação que os cientistas constroem são uma forma de imaginação que pode ser contestada. Acontece, contudo, que a contestação tem regras para que possa acontecer e seu sustentáculo são justamente os dados. Quando o fenômeno que queremos conhecer é muito complexo, quase sempre exige inúmeros tipos diferentes de dados e sempre em quantidade significativa. Conhecer um pouco sobre esses tijolos de construção dos edifícios científicos é fundamental não apenas para que se conheça como os cientistas trabalham, mas principalmente para que se tenha uma ideia precisa da necessidade de cada vez mais conhecimentos confiáveis atualmente.

Muita gente imagina que os cientistas são pessoas que vivem com a cabeça nas luas. Ledo engano. No nosso meio dizemos que quem vive assim são os filósofos. É claro que tudo isso não passa de demonstração de bom humor que perpassa quase sempre o ambiente de trabalho desses profissionais. Na verdade, os cientistas vivem com suas cabeças enfiadas em dados. Seus pensamentos e raciocínios todos são estruturados e processados por meio de dados. Essa prática é tão constante que quando um cientista bate os olhos em um conjunto de dados, que chamamos massa de dados, a primeira coisa que ele se pergunta é “qual é o sentido de tudo isso?” ou “qual é a lógica que ordena essas coisas todas?”. O cientista lê e compreende o mundo a partir dos dados que o mundo lhe oferece. Mas o que é um dado?

Quando alguém lhe pergunta o nome e você responde, está repassando a ele um dado: João, Maria José, Isabela. Quando ele novamente indaga sobre o seu sobrenome e você informa Soares, Souza, Silva, também está repassando a ele um dado. Se ele lhe perguntasse qual é o seu nome e o seu sobrenome, estaria lhe solicitando dois dados: nome e sobrenome. Você diria Alberto Caeiro ou “Meu nome é Alberto e meu sobrenome é Caeiro”. Os cientistas, como vimos anteriormente, são profissionais especializados em fazer perguntas. As questões que eles formulam são estratégias de captura de dados, muitos dados, às vezes uma quantidade monstruosa de dados. Imagine o caso dos cosmólogos, que coletam bilhões e bilhões de dados sobre as estrelas e outros fenômenos do cosmos! Novamente, questões complexas exigem uma quantidade muito grande dados. Mas o que os cientistas fazem com tantos dados, você deve ter se imaginado.

Os cientistas fazem a magia de transformar os dados em tudo o que a gente conhece cientificamente. Determinada vacina tem 95% de eficácia contra determinado vírus? Quem chegou a esse número foram diversos e variados estudos científicos, cada qual manuseando milhares e milhares de dados. Amanhã tem 80% de chance de chover? Quem elaborou a estrutura matemática e estatística para que essa afirmação pudesse ser feita foram inúmeros e variados estudos científicos. É claro que você já deve ter pensado sobre isso e muito provavelmente eu não esteja falando nada que lhe seja novidade. Mas talvez você não saiba que foram estudos científicos que nortearam e conduziram a transformação daqueles conhecimentos científicos em tecnologia, que é aquilo que beneficia as pessoas e organizações ao suprir as suas necessidades.

Uma vacina é um produto tecnológico, é uma tecnologia. Ela foi construída manuseando conhecimentos científicos, que é a forma mais confiável de explicação que o ser humano inventou sobre os fatos e fenômenos do mundo. Para o meteorologista fazer suas afirmativas, ele utiliza inúmeros equipamentos e máquinas. Esses instrumentos foram construídos também a partir de conhecimentos científicos que lhes permitiram primeiro fazer um modelo de cada equipamento, testar muitas vezes em simulação, depois construir o equipamento e elaborar testes de campo para, finalmente, depois dos ajustes necessários, a sua construção em escala industrial acontecer.

Cientistas transformam dados em informações. Um dado sozinho não tem sentido. Veja o tamanho do seu pé. Se for 35 ou 42 não tem sentido e nem importância. Mas se um milhão de pessoas me disserem o tamanho de seus pés, posso fazer cálculos e dizer que 35 é o tamanho médio do pé dos habitantes de Manaus, assim de forma generalizada. Mas também posso dizer, de forma surpreendente, que a média do tamanho dos pés das mulheres da capital baré é de 42, o que é absolutamente diferente do que acontece em todo o planeta, cuja média é 36. Esses exemplos, todos inventados, mostram a diferença entre um dado e uma informação “As mulheres de Manaus têm o tamanho médio do pé muito maior do que as mulheres de todo o mundo.

Os dados (sobre os tamanhos do pé) geram a informação (afirmação com sentido). E um conjunto de informações geram os conhecimentos. Mais precisamente, os conhecimentos, para serem considerados científicos, precisam gerar três informações: o que está acontecendo, como acontece e por que acontece. A partir do nosso exemplo, o que está acontecendo é o fato de as mulheres manauaras terem o tamanho médio do pé maior do que o de outras comunidades. Mas como isso acontece? Os ossos dos seus pés têm crescimento acelerado a partir dos três anos, aumentando bastante o volume seu comprimento. Por que isso acontece? Porque passam a se alimentar quase que exclusivamente de tucumã, que faz aumentar os ossos, e jaraqui, que dá volume aos músculos.

Perceba a maravilhosa magia dos cientistas: todas as respostas que fornecem a essas três questões são estruturadas em dados, que qualquer um pode coletar e testar. Tamanho do pé é um dado, média é informação; crescimento do osso é informação baseada em dados individuais; volume e comprimento, também; jaraqui e tucumã são objetos passíveis de gerar dados. Não se assuste. Você verá a partir de agora como esse mundo é ordenado. E como ele lhe poderá ser mais amistoso.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Anúncio

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email