Colapso energético pode afetar Manaus em 2009

Manaus está na iminência de sofrer um novo colapso energético a partir de 2009, caso não sejam feitos investimentos na ordem de R$ 1 bilhão na construção de uma subestação com capacidade de 138 mil volts e em uma rede de distribuição energética de 230 mil volts. Hoje, a Manaus energia tem apenas R$ 348 milhões para investir no setor, recurso inferior em 65,20% aos R$ 1,029 bilhões necessários.

Essa informação, divulgada pela presidência da Eletronorte (Centrais Elétricas do Norte), também foi confirmada pelo titular da Manaus Energia, Willamy Frota.
Segundo o executivo, já em 2008, a demanda energética em Manaus, cujos meses de outubro e novembro são considerados os de maior consumo – algo em torno de 916 MW- poderá ficar próxima dos 1.200 MW da atual oferta de energia disponível. “Precisamos nos precaver para não sofremos um colapso, por isso, o presidente da Eletronorte está reivindicando recursos federais para fazermos investimentos necessários nessa área aqui na cidade”, disse Frota, ressaltando que o consumo máximo registrado neste ano foi 860 MW, em setembro.
O presidente da Manaus Energia destacou que a concessionária precisa investir bastante para acompanhar o crescimento do consumo energético na cidade, que é o dobro da média do país. “O consumo por aqui cresce entre 8% a 10% ao ano, o mesmo percentual dos Estados mais industrializados do país, como São Paulo e Minas Gerais, o que é um bom sinal do desenvolvimento econômico local”, informou Willamy Frota

A atividade industrial da capital do Amazonas absorve 42% da oferta disponível. A maior parte desse percentual é consumida pelo PIM (Pólo Industrial de Manaus), que tem sido responsável pelo crescimento na ordem de 12% da economia de Manaus no último biênio.
O diretor executivo da Fieam (Federação das Indústrias do Estado do Amazonas), Flávio Dutra, destacou que Manaus precisa de investimentos urgentes nesse setor para continuar atraindo novas fábricas ao Estado e o desenvolvimento do pólo de Manaus.

“Quando um empresário da indústria pensa em investir em determinado local, a primeira coisa que ele se preocupa é com a oferta energética para seu funcionamento”, informou Dutra, enfatizando que a indisponibilidade de energia local pode impedir novos investimentos industriais no PIM.
Segundo o representante do setor industrial, a categoria está preocupada com essa problemática e já tem feito pressão junto às autoridades competentes no objetivo de se evitar eventuais prejuízos ao Estado do Amazonas.
“Já nos reunimos com a nossa bancada de parlamentares federais e com representantes de ministérios do governo, que sempre nos falam das obras em andamento nesse segmento, mas na prática constatamos grandes atrasos nessas obras, como é caso da integração da linha de Tucuruí “, frisou Dutra.

Eletronorte pleitea recursos do PAC

O presidente da Eletronorte, Carlos Nascimento, está pleiteando do governo federal recursos provenientes do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), orçados em R$ 738 milhões para Salvar a capital do Amazonas de um “apagão”.
Nesse objetivo, o presidente da estatal começou a ter encontros com representantes da bancada de parlamentares federais do Estado.

A presidente da Caindr (Comissão da Amazônia, Integração Nacional e Desenvolvimento Regional), Vanessa Grazziotin (PCdoB-Am) defende a inclusão de recursos do PAC destinados à região Norte para investimentos energéticos na cidade de Manaus.

“Isso possibilitaria a empresa a fazer parcerias e não ficar somente na dependência do orçamento, mas acredito que serão feitos investimentos a tempo”, frisou a parlamentar.
Na condição de presidente da Comissão da Amazônia, a deputada afirmou que o colegiado fará um acompanhamento de perto do problema. Segundo ela, o setor elétrico tem sido uma preocupação constante da comissão que chegou a criar uma subcomissão destinada a estudar a problemática e propor alternativas e soluções energéticas para a região Amazônica.

O p

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email