Codam aprova R$ 800 milhões

Preocupação: este foi o tom da 249ª reunião do Codam, a primeira de 2014, realizada na tarde de ontem (26) no auditório da Seplan (Secretaria de Estado de Planejamento). Prorrogação do modelo ZFM (Zona Franca de Manaus) e a greve da Suframa dominaram as discussões e acabaram ofuscando os 44 projetos industriais que estavam na Ordem do Dia.
Representantes da indústria, do comércio e dos trabalhadores demonstraram extrema preocupação com o futuro do modelo diante desses dois imbrólios. Durante a reunião, o presidente do Cieam (Centro da Indústrias do Estado do Amazonas), Wilson Périco chamou a atenção para o fato de que, sete dias após a aprovação em primeiro turno da PEC da Prorrogação, a reunião da Comissão Especial da Zona Franca de Manaus, que seria para elaborar o parecer sobre a PEC, teve de ser adiada por falta de quorum.
“Ontem (terça-feira) teve a primeira reunião da Comissão e, dos 26 deputados que compõem a Comissão, apenas oito estavam presentes. Isso assusta porque dos oito representantes do Estado do Amazonas, apenas dois estiveram presentes. Sabemos quem são os parlamentares que entendem e brigam pelo Amazonas e quem faz figuração. Parece que só se interessam nisso quando a mídia está em cima, para aparecer na foto do jornal”, desabafou Périco. Os dois representantes do Amazonas presentes na reunião foram os deputados Átila Lins, relator do projeto, e Silas Câmara – ambos do PSD.
“A prorrogação da Zona Franca é indispensável para o nosso Estado. A manutenção do que nós temos hoje vai ajudar o Estado a desenvolver novas matrizes econômicas que precisam ser desenvolvidas para que o Amazonas deixe de ser refém, como é hoje, daquilo que se faz no Polo Industrial de Manaus”, completou o presidente do Cieam.
Além disso, Périco afirmou que acredita em uma breve resolução em relação à greve da Suframa, impasse que poderá comprometer o faturamento positivo previsto para o primeiro semestre, principalmente no setor de televisores por conta da Copa do Mundo.

Governo otimista
O secretário de Estado de Planejamento, Airton Claudino, destacou o volume de projetos industriais para demonstrar a força do modelo. Segundo Claudino, os 44 projetos deliberados ontem, representam mais que o dobro do registrado nas primeiras reuniões dos anos anteriores, com R$ 823 milhões em investimentos e 2 mil novos postos de empregos. Na opinião do secretário, apesar das dificuldades, a Zona Franca de Manaus ainda é atrativa para os investidores industriais.
“O balanço do ano passado foi extremamente positivo. Tivemos 217 projetos ao todo, geração de 11 mil empregos e investimentos de R$ 5 bi. Então isso demonstra que estamos no caminho certo, há credibilidade para o modelo. Com todas as dificuldades estamos conseguindo crescer”, comemorou.
Além disso, o secretário descartou queda no faturamento do Polo Industrial de Manaus devido à greve dos servidores da Suframa. Na última terça-feira, a autarquia divulgou faturamento recorde para o mês de janeiro, superando os R$ 6,45 bi em arrecadação.“A greve vai ter que ser resolvida. Não podemos imaginar que a essa altura do campeonato uma greve dos servidores da Suframa possa colocar em risco o nosso Distrito. Não acredito que isso (queda no faturamento) seja possível”, acredita.
O curioso é que, ao abrir a reunião, o próprio titular da Seplan lembrou que por acontecer com mais de uma mês de atraso, as empresas tiveram mais tempo para apresentarem seus investimentos e que por isso chegou-se ao número de 44 projetos industriais nesta reunião.
Da mesma maneira, o superintendente da Suframa, Thomaz Nogueira, citou os números de 2013 para projetar um crescimento para este ano.
“Nós tivemos no ano passado um saldo histórico em termos de geração de empregos, geração de impostos, receita pública, produção física e de faturamento. Continuamos com expectativa de crescimento muito forte neste sentido, um crescimento real acima da inflação”, projetou Thomaz Nogueira.

A reunião
A 249ª reunião do Codam (Conselho de Desenvolvimento do Estado do Amazonas), a primeira deste ano, deliberou sobre uma pauta que relaciona 44 projetos industriais, sendo seis de implantação, 27 de diversificação e 11 de atualização, estimados em R$ 823 milhões, com geração de mão de obra prevista de 1.971 empregos no mercado, ao longo de três anos. Foram aprovados 41 propostas, uma foi retirada de pauta e outras duas receberam pedidos de vistas da Sefaz.
Os destaques da pauta são o projeto da Humax do Brasil para a produção de receptor de sinal de televisão a cabo além de modulador com investimentos de R$ 74 milhões. A JTZ Indústria e Comércio pretende fabricar motocicletas e motonetas com recursos de R$ 37 milhões e a força de trabalho de 217 trabalhadores.
Inicialmente agendada para o dia 20 de fevereiro, a reunião foi adiada pela Seplan (Secretaria de Planejamento do Estado) para o dia 19 de março, sob o argumento de que havia “necessidade de organização interna de projetos”. Um segundo adiamento definiu o dia 26 de março como data da reunião. A 250ª reunião do Conselho está agendada para o dia 24 de abril.

Qual sua opinião? Deixe seu comentário

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Siga-nos

Notícias Recentes

JC Play

Podcast

Gostou do Conteúdo? Assine nossa Newsletter

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp
Email

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email